Alcoolismo

Desde 1988, o álcool foi declarado uma substância cancerígena pela Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer dos Estados Unidos. O uso abusivo de álcool está associado a diversos tumores, entre eles os cânceres da cavidade oral, faringe, laringe, esôfago, fígado e colorretal.

O relatório da Agência de 2014 declarou que quando se trata de câncer, nenhuma quantidade de álcool é segura e, quanto mais se ingere, maiores as chances de se desenvolver doenças.

 

Ainda não se sabe como o álcool aumenta o risco de câncer. Entretanto, especialistas advertem que a bebida causa diversos danos ao corpo humano, como:

  • Alterações do DNA das células
  • Diminuição dos níveis de ácido fólico e outros nutrientes
  • Aumento dos níveis de estrogênio
  • Aumento do peso corporal
  • Lesões nas células do fígado

Além disso, bebidas alcóolicas podem atuar como solventes, ajudando outras substâncias químicas a penetrarem nas células que revestem o aparelho digestivo. É importante destacar que não faz diferença alguma o tipo de bebida alcoólica consumida, mas sim, a quantidade ingerida em excesso.

O brasileiro e o álcool

A Pesquisa Nacional de Saúde realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2013 revelou que 25 milhões de homens tomam algum tipo de bebida alcóolica uma vez ou mais vezes por semana. A pesquisa revelou também que são homens com curso superior completo que mais consomem álcool, cerca de 35%.

Outro dado interessante é que os maiores consumidores de álcool estão na faixa etária de 25 a 39 anos (28,5%), enquanto os mais de 60 anos tem o menor percentual (14,2%). Para esses números, foram visitadas 80 mil casas em 1.600 municípios.

Para saber mais sobre assunto, clique aqui e veja o I Levantamento Nacional Sobre os Padrões de Consumo de Álcool na População Brasileira.

Dicas para combater o Alcoolismo

Para se livrar do alcoolismo, é preciso se conscientizar sobre os malefícios causados pelas bebidas alcoólicas. Combater um vício nunca é fácil, mas com determinação e força de vontade é possível mudar esse quadro. Confira algumas dicas!

- Tome a decisão de mudar e comece hoje.

- Não tenha bebidas alcóolicas em casa, pois elas podem facilitar as recaídas.

- Avise aos amigos e familiares do seu objetivo e peça apoio e compreensão para esse momento.

- Peça para os amigos e familiares mais próximos não beberem perto de você.

- Evite lugares que tenham bebidas alcoólicas, como bares, baladas ou até mesmo pessoas que incentivem o consumo.

- Aprenda a dizer “não”. Não há necessidade de beber porque os outros estão bebendo nem se sentir na obrigação de aceitar bebidas.

- Crie uma lista que o incentive a parar de beber. Imagine os benefícios que terá quando conseguir se manter longe da bebida, escreva-os em um papel e deixe em um local de fácil visualização.

- Procure ajuda terapêutica para cuidar do lado emocional. Muitos começam a beber por ansiedade, frustração, estresse ou problemas familiares e profissionais. O autoconhecimento pode ser um fator importante nessa fase.

- Se achar necessário, procure grupos de ajuda, como os Alcoólicos Anônimos (AA). Conhecer histórias semelhantes pode dar forças para prosseguir lutando contra o vício.

- Monitore o seu progresso de parar de beber. Anote as dificuldades e as conquistas.

- Se houver recaída, persista. Muitas pessoas têm dificuldade de parar de beber na primeira tentativa. É preciso paciência e tempo para essa mudança.