Câncer de Mama

 

 

O QUE É?

O câncer de mama ocorre quando as células da mama se dividem desordenadamente, produzindo uma massa palpável na região que pode causar caroços, vermelhidão, nódulos nas axilas e alterações na forma dos mamilos e das mamas.

EXISTEM DOIS TIPOS DE TUMORES

BENIGNOS: não cancerígenos, eles são formados por células tumorais que não se propagam para fora do local de onde surgem.

MALIGNOS: formados por células cancerígenas que se propagam para outras partes do corpo através da corrente sanguínea ou do sistema linfático.

 

FATORES DE RISCO

Existem dois grupos de fatores de risco para o câncer de mama: os não-modificáveis e os modificáveis.

NÃO-MODIFICÁVEIS

 

  • Envelhecimento
  • Menopausa tardia ou menarca precoce (primeira menstruação)
  • Ausência de gestação
  • Histórico familiar

MODIFICÁVEIS

  • Tabagismo
  • Consumo de álcool
  • Excesso de peso, dieta rica em gordura
  • Sedentarismo
  • Uso de terapia de reposição hormonal pós menopausa

PREVENÇÃO

O autoexame pode auxiliar na descoberta do câncer de mama. Ele é feito com a palpação mensal das mamas no 7º ou no 8º dia após o início da menstruação.

Passo-a-passo

- De frente para o espelho, ponha as mãos na cintura e veja o formato e o tamanho das mamas. Repita com as mãos para o alto.

- Pressione suavemente os mamilos e observe a presença de secreções ou lesões.

- Percorra todas as áreas, fazendo movimentos circulares de fora para dentro.  Depois, repita na axila.

- Deitada, repita os movimentos circulares para examinar ambas as mamas.

Atenção: O autoexame não substitui a consulta médica e exame de screening.

SINTOMAS

A doença pode não causar dores na fase inicial, mas à medida que o tumor cresce, é possível que gere desconforto. Conheça os sintomas e não espere por eles para visitar seu médico.

  • Calor, inchaço, vermelhidão, descamação ou dor na mama.
  • Sensibilidade no mamilo, secreção ou inversão dele para dentro da mama.
  • Alteração no tamanho ou no formato da mama.
  • Enrugamento ou endurecimento da mama, podendo levar a um aspecto semelhante a uma casca de laranja.
  • Nódulos ou espessamento na mama ou nas axilas.

DIAGNÓSTICO

Os principais exames para o diagnóstico do câncer de mama são:

  • Exame físico: feito através da palpação da mama para identificar nódulos e outras alterações na mama da mulher.
  • Mamografia (raio-X das mamas): é o mais indicado para detectar precocemente a presença de nódulos, por ser capaz de mostrar lesões muito pequenas (de milímetros).
  • Ressonância Magnética: utilizado principalmente para identificar o tamanho do câncer e a existência de outros locais que possam estar afetados, em casos de imagem duvidosa.
  • Biópsia: feita no laboratório com amostras retiradas diretamente das lesões da mama, permitindo observar se existem células tumorais.
  • Ultrassonografia: pode ajudar na mamografia especialmente em mamas de mulheres jovens.

TRATAMENTO

É determinado conforme o tipo e o estadiamento do câncer. Conheça os mais indicados:

  • Quimioterapia
  • Radioterapia
  • Hormonioterapia
  • Terapia alvo-dirigida
  • Cirurgia parcial, total ou radical (remoção do tumor, também conhecida como mastectomia)
  

REABILITAÇÃO

Nos casos de tratamentos mais invasivos, como a cirurgia (mastectomia), a mobilidade do braço e da região do ombro pode ser reduzida em função da dor e da perda de força muscular. Também pode se sentir peso nos braços, formigamento, queimação ou dormência.  

Esses sintomas são contornados e melhorados com exercícios planejados por um fisioterapeuta e realizados até pela própria paciente.

  • Drenagem linfática manual
  • Exercícios respiratórios
  • Exercícios de alongamento global e fortalecimento muscular
  • Movimentos e atividades funcionais
  • Reeducação postural (RPG)
  • Processos analgésicos como técnicas de relaxamento muscular

  

Revisão Científica

Oncologistas Ana Carolina Gouvea,  e Graziela Zibetti Dal Molin e  Ricardo Caponero, membros do Comitê Científico do Instituto Lado a Lado pela Vida.