Exercícios físicos auxiliam na prevenção e reabilitação de doenças cardiovasculares

Exercícios físicos auxiliam na prevenção e reabilitação de doenças cardiovasculares

Atividades físicas estão entre as principais recomendações dos médicos para prevenir e tratar doenças cardiovasculares. Os benefícios da prática regular vão muito além do controle de peso. Hipertensão, diabetes e colesterol são alguns dos fatores de risco que podem ser controlados através dos exercícios. 

Mas de que forma as atividades físicas podem fazer bem ao coração? Segundo o cardiologista Marcelo Sampaio, membro do Comitê Científico do Instituto Lado a Lado pela Vida, a prática frequente fortalece o músculo cardíaco, normaliza a pressão arterial, reduz a frequência cardíaca, aumenta o HDL (colesterol bom) e diminui as taxas de colesterol ruim no sangue, problema associado ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Além disso, durante os exercícios o organismo sintetiza substâncias favoráveis, como a endorfina, e diminui a liberação de hormônios como o cortisol, relacionado ao estresse. 

Existem basicamente três tipos de exercícios físicos: os aeróbicos, que trabalham grandes grupos musculares de forma rítmica; os treinamentos de resistência e força; e o alongamento. As atividades aeróbicas, como caminhada, corrida, natação, ciclismo e futebol, estão entre as melhores para a saúde do coração.

A caminhada, segundo o especialista, é a melhor opção para quem vai começar a se exercitar. No entanto, independente do tipo de atividade, é fundamental consultar um médico para uma avaliação muscular e do sistema circulatório, e só então, procurar profissionais especializados para adaptar o treino às condições e necessidades de cada um. Ele também alerta para a intensidade da prática. "O importante, em todos os casos, é começar devagar e ajustar a intensidade gradualmente", frisa o cardiologista.

A importância da regularidade 

"O exercício físico, para ter benefícios, tem que ser diário. Não adianta estimular o processo metabólico no fim de semana e interrompê-lo nos outros dias", explica Dr. Marcelo Sampaio. O recado do especialista é destinado aos "atletas de fim de semana", que além de não colherem os benefícios da prática, podem estar colocando a saúde em risco. "Essas pessoas, geralmente, tentam compensar no fim de semana os dias que não se exercitaram e acabam exagerando". 

O tempo recomendado de atividades físicas diárias não é unanimidade.  A OMS (Organização Mundial da Saúde) defende no mínimo 30 minutos por dia. Um estudo recente publicado na revista The Lancet diz que é necessário  uma hora de exercício diário para reverter os danos de 8 horas sentado .

Independente da quantidade, vale lembrar que a prática pode ser distribuída ao longo do dia para se adequar às rotinas agitadas.

O exercício físico na reabilitação de doenças cardíacas

"O exercício físico é parte da reabilitação de todas as doenças cardiovasculares. É fundamental e faz parte do tratamento", afirma o cardiologista. Ele explica que o exercício programado - além dos benefícios já citados - aumenta a força contrátil do coração e é especialmente importante para pacientes com insuficiência cardíaca ou que têm parte do músculo cardíaco comprometida.  

Entretanto, é imprescindível que a prática se inicie por orientação médica. "Quem já tem um problema cardíaco deve seguir um programa de atividades prescrito e conduzido por um cardiologista", reforça o médico.