Pesquisa revela que 2 em 3 pacientes detectam o câncer de mama sem mamografia

Pesquisa revela que 2 em 3 pacientes detectam o câncer de mama sem mamografia

Uma pesquisa do Instituto Nacional De Câncer (Inca) divulgada na última semana reforça a importância do autoexame da mama. Segundo estudo, em 66,2% dos diagnósticos de câncer de mama é a própria mulher quem percebe os primeiros sinais.

Foram entrevistadas 405 mulheres entre junho de 2013 e outubro de 2014 no Rio de Janeiro. Os dados foram coletados pelo Núcleo de Pesquisa Epidemiológica da Divisão de Pesquisa Populacional, que elaborou o estudo.

Os principais sinais notados por essas mulheres foram: presença de um caroço (citado por 89,6% das mulheres), dor na mama (20,9%), alterações na pele da mama (7,1%), saída de secreção do mamilo (5,6%) e alteração no formato da mama (3,7%) e alterações no mamilo (2,6%).

Apesar de importante, o autoexame não detecta o câncer de mama precocemente. O diagnóstico em fase inicial é feito através de mamografia, que identifica nódulos pequenos, ainda não palpáveis. Ela deve ser iniciada aos 40 anos e repetida anualmente. Segundo a pesquisa, a detecção por mamografia ocorreu em 30,1% dos casos.

O autoexame permite à mulher  conhecer suas mamas, saber o que é normal nelas, e diante de qualquer sinal de mudança, comunicar ao seu médico. Deve ser feito com a palpação mensal das mamas no 7º ou no 8º dia após o início da menstruação.
Veja o passo a passo do autoexame das mamas.