População pode opinar sobre medicamento para câncer de colo de útero em consulta pública

População pode opinar sobre medicamento para câncer de colo de útero em consulta pública

O Ministério da Saúde, por meio da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (CONITEC), realiza até 14 de novembro de 2016 uma consulta pública para debater a incorporação da droga Bevacizumabe - também conhecida como Avastin - para o tratamento do câncer de colo de útero metastático, persistente ou recorrente no SUS (Sistema Único de Saúde).

O câncer de colo de útero é terceiro tumor mais frequente em mulheres e a quarta maior causa de mortes entre elas. No Brasil, a mortalidade pela doença é quase duas vezes maior que em países desenvolvidos. . O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que no país ocorram mais de 5 mil mortes por ano em decorrência do câncer de colo do útero e que, por ano, sejam diagnosticados mais de 15 mil novos casos da doença.

O medicamento já foi aprovado pela Anvisa para o tratamento de câncer de colo de útero metastático, uma vez que mostrou resultados no aumento da expectativa de vida das pacientes. No entanto, em reunião realizada pela CONITEC em outubro, o plenário apreciou a sugestão de incorporação justificada pela "fragilidade de evidências científicas", criando a consulta pública "com recomendação preliminar desfavorável à incorporação do Bevacizumabe".

A participação na consulta pública é importante para a inclusão de novos tratamentos no SUS e a garantia de melhores possibilidades de enfrentar a doença. Pacientes, familiares, cuidadores, profissionais na saúde, ONGs e toda a sociedade são convidados a expressarem sua opinião sobre a proposta.

Para o Ministério da Saúde, a opinião das pacientes com câncer de colo de útero metastático, que já fizeram uso do Bevacizumabe ou outro medicamento, é especialmente importante. Com base nestes relatos e evidências científicas será decidida a incorporação da droga no tratamento do SUS.

Instruções

A contribuição com a consulta é feita neste  link . Na página, o colaborador deve escolher entre os formulários "Experiência ou Opinião" (para pacientes, cuidadores, amigos, profissionais de saúde) e "Contribuição Técnico-Científica", para análises, comentários e críticas baseadas em evidências científicas.