Educação e Saúde lado a lado: Instituto inicia parceria com a Secretaria da Educação em Brasília

Educação e Saúde lado a lado: Instituto inicia parceria com a Secretaria da Educação em Brasília

A Secretaria de Educação do Distrito Federal abriu as portas para o Instituto Lado a Lado pela Vida levar informação sobre a saúde do homem aos seus servidores. A presidente do Instituto, Marlene Oliveira, e o urologista, Carlos Watanabe, foram convidados para conduzir um bate papo sobre câncer de próstata e outras doenças prevalentes nos homens.

Marlene aproveitou a ocasião para apresentar a missão do Instituto e reforçar a importância da parceria. "Educação e saúde devem trabalhar juntas. A informação de qualidade ainda é uma carência e ela é fundamental para promover a prevenção". O Secretário de Estado de Educação, Júlio Gregório, que esteve presente na abertura, parabenizou o trabalho do Instituto e sugeriu novas parcerias para levar educação e saúde às escolas.

Os servidores pararam suas rotinas de trabalho para tirar dúvidas e conversar sobre saúde com os especialistas. O objetivo do encontro é estimular os cuidados preventivos. "A grande mensagem aqui é fazer com que o homem passe a gerenciar sua saúde. Que a mulher esteja atenta, mas que não seja obrigação dela. É importante que o homem assuma a responsabilidade, que ele chegue à fase adulta com uma postura diferente da que seu pai teve, da que seu avô teve", informou Marlene.

Para o especialista Carlos Watanabe é preciso quebrar preconceitos e introduzir a cultura da prevenção, que é muito mais presente no público feminino. "Nós precisamos trazer o homem para mais perto da gente, conversar melhor com ele e cuidar da saúde de forma completa". Neste ano, a campanha Novembro Azul do Instituto Lado a Lado, tem como mote a saúde integral, de novembro a novembro.

O urologista esclareceu dúvidas comuns em relação ao câncer de próstata, segundo tumor mais comum entre os homens. De acordo com ele, muitos pacientes confundem os sinais da hiperplasia - crescimento benigno da próstata - com o câncer. "O câncer de próstata é uma doença assintomática, só manifesta sinais em um estágio mais avançado. Por isso a importância dos exames de rastreamento como o PSA e o toque retal".

A partir do primeiro exame de toque, indicado a partir dos 50 anos, o médico poderá definir a frequência com que deverá ser repetido, observando os fatores de risco de cada paciente. Obesidade, etnia, histórico familiar e hábitos de vida pouco saudáveis são alguns dos fatores que aumentam as chances de desenvolver a doença. "Pacientes que tiveram casos em dois ou mais parentes na família têm até cinco vezes mais chances de desenvolver câncer de próstata".