Pesquisa do Lado a Lado aponta que 32% dos homens conhecem alguém próximo que teve ou tem câncer de próstata, mas isso não aumenta as chances de buscarem a prevenção

Pesquisa do Lado a Lado aponta que 32% dos homens conhecem alguém próximo que teve ou tem câncer de próstata, mas isso não aumenta as chances de buscarem a prevenção

O Instituto Lado a Lado pela Vida, uma OSCIP com foco em saúde, lança uma pesquisa realizada pela Kaiser Associates, com a participação de 1.130 homens a partir de 18 anos de idade, de todas as classes sociais e nas principais capitais para entender como está a saúde do brasileiro e traçar estratégias que o ajude a viver mais feliz, mais saudável e por mais tempo.

Os dados mostraram que a maioria, 74% foram ao médico uma vez nos últimos seis meses. O clínico geral é a especialidade mais consultada, 54%. Apenas 10% dos homens respondentes procuram o urologista.

"No Brasil a porta de entrada para o paciente do Sistema Público de Saúde é o clínico geral. Isso mostra que temos oportunidade para aumentar o diagnóstico precoce de Câncer de Próstata com a criação de programas de capacitação de Clínicos Gerais, para que encaminhem o paciente precocemente ao urologista", afirma Archimedes Nardozza, Urologista membro do Comitê Científico do Instituto Lado a Lado e Presidente da Sociedade Brasileira de Urologia.

Os exames preventivos realizados com maior frequência são hemograma, glicemia e colesterol. Somente 10% dos respondentes realizaram exame preventivo de próstata, dentre eles, 17% estão na faixa acima de 60 anos mostrando que a realização de exames de detecção é feita tardiamente.

Os dados mostram ainda que 32% conhecem alguém próximo que teve ou tem câncer de próstata, mas isso não aumenta as chances de buscarem a prevenção.

Dentro deste cenário, chama a atenção o fato de, apesar do médico ser o mais consultado para informações sobre saúde, a Internet está tomando uma proporção importante neste cenário.

Daqueles que acessam websites e redes sociais para obterem informações sobre saúde, 79% tem entre 18 e 40 anos.

"Isso reforça que campanhas de conscientização são fundamentais para levar informações sobre saúde a um maior número de pessoas e mostrar aos homens a importância de realizar exames de detecção precoce", afirma Fernando Cotait Maluf, oncologista do Centro Oncológico Antonio Ermírio de Moraes e membro do Comitê Científico do Instituto Lado a Lado.

Entre as doenças crônicas, a pesquisa mostra que são mais comuns a partir dos 40 anos de idade, e as principais são pressão alta, colesterol alto, doenças respiratórias e obesidade. A obesidade é um fator de risco para o câncer de próstata agressivo.

"O Brasil é carente de dados sobre saúde, em especial relacionados à saúde masculina. Essa pesquisa nos trás dados importantes para traçarmos estratégias para a melhoria da saúde do homem no Brasil. Além disso, confirma que estamos no caminho certo, abordando a Saúde Integral do Homem durante o ano todo: de Novembro a Novembro Azul. Mas, ainda é preciso quebrar muitos preconceitos para que o homem cuide bem de sua saúde e em todas as fases da vida", afirma a Presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira.