Nós acreditamos que toda pessoa merece a mesma oportunidade de viver com saúde.
Por isso estamos aqui.

App Lado a Lado
Seu parceiro para mudanças de hábitos

A informação é sua principal aliada

Bons hábitos incluem estar em dia com o seu check-up.

Conheça os principais exames para a detecção precoce de doenças


Câncer de Mama

O melhor exame para detectar o câncer de mama em fase inicial é a mamografia. O autoexame permite perceber alterações nas mamas. Frente a qualquer sinal de alarme, procure um mastologista.

A mamografia deve ser feita todos os anos a partir dos 40 anos, mas mulheres com histórico de câncer de mama na família devem fazer o exame a partir dos 35 anos de idade.

O autoexame deve ser realizado uma vez a cada mês, na semana seguinte ao término da menstruação.

Câncer de Colo de útero

O papanicolau é o principal exame preventivo. Quando feito com a periodicidade indicada, é capaz de reduzir em até 90% a incidência do câncer do colo de útero. Seu objetivo é verificar a existência de lesões na parede do colo uterino que podem sugerir a infecção pelo HPV.

Toda mulher que já tenha tido atividade sexual deve realizar o exame papanicolau uma vez por ano e, após 2 exames anuais consecutivos negativos, a cada 3 anos.

Câncer de Próstata

O exame de toque retal é a principal forma de detecção precoce e rastreamento do câncer de próstata. É considerado indispensável e não pode ser substituído pelo exame de sangue (PSA) ou por qualquer outro exame, como o ultrassom.

A recomendação geral é que homens com mais de 50 anos realizem os exames de toque e PSA anualmente. Homens com histórico familiar de câncer, negros ou obesos deverão fazer exames para detecção a partir dos 45 anos.

Câncer de Pênis

A avaliação cuidadosa da região genital é fundamental para detectar lesões que podem ser cancerosas. As lesões penianas geralmente afetam a superfície da pele podendo ser detectadas examinando-se atentamente o pênis. Consulte um médico caso identifique quaisquer tipos de anomalias.

O autoexame do pênis deve se tornar um hábito a partir da puberdade. As consultas ao urologistas devem fazer parte do check-up dos homens a partir desta idade.

Câncer de Testículo

O autoexame é a forma eficaz de detectar o câncer do testículo em estágio inicial, o que aumenta as chances de cura. Atente-se para qualquer alteração no tamanho dos testículos, sensação de peso no escroto, dor ou desconforto.

O autoexame dos testículos deve ser realizado mensalmente, sempre após um banho quente. O calor relaxa o escroto e facilita a observação de anormalidades.

Câncer de Pele

Consultas com dermatologistas devem ser realizadas anualmente, caso haja histórico familiar. Também é importante a identificação de sinais que podem indicar esse tipo de câncer. Em frente a um espelho, com os braços levantados, examine seu corpo de frente, de costas e os lados direito e esquerdo. Fique atento a manchas que aumentam de tamanho, que são assimétricas, com bordas irregulares e cores variáveis.

A atenção à pele, principalmente aos cuidados preventivos que incluem o uso diário de protetor solar, deve começar na infância.

Câncer de Estômago

A endoscopia digestiva alta é o principal exame utilizado na investigação do câncer de estômago. Durante o exame o médico consegue visualizar o esôfago, o estômago e a primeira parte do intestino delgado.

Pessoas com mais risco de desenvolver o câncer de estômago (por causa de sua história familiar, de doenças que já teve ou de hábitos como fumar, consumir bebidas alcoólicas ou comer dieta rica em gorduras) devem perguntar ao seu médico com que frequência realizar a endoscopia digestiva.

Câncer de Colorretal

Esses tumores podem ser detectados precocemente através de dois exames principais: pesquisa de sangue oculto nas fezes colonoscopia ou retossigmoidoscopias. Durante a colonoscopia, é possível detectar e remover dos pólipos que podem dar origem ao câncer.

O rastreamento regular pode, muitas vezes, diagnosticar o câncer colorretal de forma precoce, quando é mais provável sua cura. Pessoas com histórico familiar ou pessoal (de câncer ou pólipos) devem perguntar ao seu médico com que frequência realizar a colonoscopia para rastreamento.

Câncer de Pulmão

O exame mais utilizado para detectar o câncer de pulmão é a Tomografia Computadorizada de Baixa Dosagem.

Indivíduos que fumaram um maço diário nas últimas três décadas, com idade entre 55 e 74 anos — mesmo aqueles que abandonaram o vício há menos de 15 anos.

Angina

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Teste de Ergométrico (Teste de Esforço)

É feito em esteira ou bicicleta para registrar a atividade elétrica do coração durante o esforço físico máximo. Também avalia o comportamento da pressão arterial e a aptidão física do paciente. É um dos mais usados para detectar arritmias e doenças de coronárias. Pode ser parte integrante de outros exames, como a cintilografia e o ecocardiograma.

Ressonância Magnética (RM)

Diferente da tomografia, não usa energia ionizante; portanto, não é prejudicial para o organismo. Gera imagens de alta resolução que permitem uma boa observação do miocárdio ou de defeitos congênitos. É útil para diagnosticar doenças de aorta e do pericárdio ou tumores cardíacos. A ressonância magnética também pode ser usada para avaliar a morfologia das câmaras cardíacas, a função global ou regional dos ventrículos e a existência de regurgitações valvulares.

Eletrocardiograma de repouso (ECG)

Serve para avaliar a parte elétrica do coração – que controla a contração das fibras musculares – e pode mostrar evidências do formato do órgão e algumas doenças. Com ele, é possível verificar o ritmo, a frequência dos batimentos e o impulso elétrico dentro do coração. É realizado com a pessoa em repouso, utilizando-se 12 eletrodos colocados nas pernas, braços e no tórax, na região do precórdio.

Cintilografia

Um material radioativo é injetado para aderir ao músculo do coração, em repouso e durante atividade física. O material “pinta” as áreas com fluxo normal de sangue, deixando sem pintar aquelas em que o fluxo é insuficiente. Revela zonas isquêmicas, como regiões infartadas, doenças infiltrativas do coração, bloqueios de ramo e miocardiopatias dilatadas.

Holter

Tem a mesma finalidade e funcionamento do eletrocardiograma, mas registra a atividade do coração por 24 horas. O paciente usa eletrodos ligados a uma pequena caixa que deve ser mantida com ele durante as atividades de rotina. A ideia é detectar arritmias e outros eventuais sintomas.

AVC

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Tomografia do coração e vasos

Oferece imagens mais detalhadas do coração e é o principal exame para detectar obstruções de artérias e a probabilidade de doenças futuras baseando-se no índice de cálcio. Permite avaliar coronárias através de contraste com iodo e raios X (tomografia). É indicado, principalmente, quando há suspeita de doença coronária.

Ressonância Magnética (RM)

Diferente da tomografia, não usa energia ionizante; portanto, não é prejudicial para o organismo. Gera imagens de alta resolução que permitem uma boa observação do miocárdio ou de defeitos congênitos. É útil para diagnosticar doenças de aorta e do pericárdio ou tumores cardíacos. A ressonância magnética também pode ser usada para avaliar a morfologia das câmaras cardíacas, a função global ou regional dos ventrículos e a existência de regurgitações valvulares.

Angiografia digital

É um exame que avalia os vasos do cérebro ou do coração para verificar a existência de obstruções ou diminuição de fluxo do sangue. Para isso, é a plicado um contraste na veia. O aparelho de RX é capaz de obter imagens muito rapidamente.

Arritmia

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Eletrocardiograma de repouso (ECG)

Serve para avaliar a parte elétrica do coração – que controla a contração das fibras musculares – e pode mostrar evidências do formato do órgão e algumas doenças. Com ele, é possível verificar o ritmo, a frequência dos batimentos e o impulso elétrico dentro do coração. É realizado com a pessoa em repouso, utilizando-se 12 eletrodos colocados nas pernas, braços e no tórax, na região do precórdio.

Holter

Tem a mesma finalidade e funcionamento do eletrocardiograma, mas registra a atividade do coração por 24 horas. O paciente usa eletrodos ligados a uma pequena caixa que deve ser mantida com ele durante as atividades de rotina. A ideia é detectar arritmias e outros eventuais sintomas.

Aterosclerose

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Teste de Ergométrico (Teste de Esforço)

É feito em esteira ou bicicleta para registrar a atividade elétrica do coração durante o esforço físico máximo. Também avalia o comportamento da pressão arterial e a aptidão física do paciente. É um dos mais usados para detectar arritmias e doenças de coronárias. Pode ser parte integrante de outros exames, como a cintilografia e o ecocardiograma.

Tomografia do coração e vasos

Oferece imagens mais detalhadas do coração e é o principal exame para detectar obstruções de artérias e a probabilidade de doenças futuras baseando-se no índice de cálcio. Permite avaliar coronárias através de contraste com iodo e raios X (tomografia). É indicado, principalmente, quando há suspeita de doença coronária.

Angiografia digital

É um exame que avalia os vasos do cérebro ou do coração para verificar a existência de obstruções ou diminuição de fluxo do sangue. Para isso, é a plicado um contraste na veia. O aparelho de RX é capaz de obter imagens muito rapidamente.

Eletrocardiograma de repouso (ECG)

Serve para avaliar a parte elétrica do coração – que controla a contração das fibras musculares – e pode mostrar evidências do formato do órgão e algumas doenças. Com ele, é possível verificar o ritmo, a frequência dos batimentos e o impulso elétrico dentro do coração. É realizado com a pessoa em repouso, utilizando-se 12 eletrodos colocados nas pernas, braços e no tórax, na região do precórdio.

Cardiomiopatia

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Ressonância Magnética (RM)

Diferente da tomografia, não usa energia ionizante; portanto, não é prejudicial para o organismo. Gera imagens de alta resolução que permitem uma boa observação do miocárdio ou de defeitos congênitos. É útil para diagnosticar doenças de aorta e do pericárdio ou tumores cardíacos. A ressonância magnética também pode ser usada para avaliar a morfologia das câmaras cardíacas, a função global ou regional dos ventrículos e a existência de regurgitações valvulares.

Eletrocardiograma de repouso (ECG)

Serve para avaliar a parte elétrica do coração – que controla a contração das fibras musculares – e pode mostrar evidências do formato do órgão e algumas doenças. Com ele, é possível verificar o ritmo, a frequência dos batimentos e o impulso elétrico dentro do coração. É realizado com a pessoa em repouso, utilizando-se 12 eletrodos colocados nas pernas, braços e no tórax, na região do precórdio.

Cateterismo cardíaco

É um procedimento para avaliar a função do coração, visualizar coronárias e a presença de placas de gordura, avaliar alterações no funcionamento de válvulas e doenças congênitas. Um cateter é introduzido através da artéria até a aorta, atingindo o ventrículo esquerdo. Ali injeta-se um contraste para gerar imagens da cinecoronariografia. É o exame mais definitivo para o diagnóstico das doenças desses vasos.

Doença Arterial Periférica

Angiografia digital

É um exame que avalia os vasos do cérebro ou do coração para verificar a existência de obstruções ou diminuição de fluxo do sangue. Para isso, é a plicado um contraste na veia. O aparelho de RX é capaz de obter imagens muito rapidamente.

Valores de referência para Colesterol

A V Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, recomenda: LDL (colesterol ruim) abaixo de 160mg/dl (Desejável: entre 100-129 mg/dl); HDL (colesterol bom) maior que 60 mg/dl; Colesterol total inferior a 240 mg/dl (Desejável: menor que 200 mg/dl).

Endocardite

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Ressonância Magnética (RM)

Diferente da tomografia, não usa energia ionizante; portanto, não é prejudicial para o organismo. Gera imagens de alta resolução que permitem uma boa observação do miocárdio ou de defeitos congênitos. É útil para diagnosticar doenças de aorta e do pericárdio ou tumores cardíacos. A ressonância magnética também pode ser usada para avaliar a morfologia das câmaras cardíacas, a função global ou regional dos ventrículos e a existência de regurgitações valvulares.

Eletrocardiograma de repouso (ECG)

Serve para avaliar a parte elétrica do coração – que controla a contração das fibras musculares – e pode mostrar evidências do formato do órgão e algumas doenças. Com ele, é possível verificar o ritmo, a frequência dos batimentos e o impulso elétrico dentro do coração. É realizado com a pessoa em repouso, utilizando-se 12 eletrodos colocados nas pernas, braços e no tórax, na região do precórdio.

Fibrilação Arterial

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Teste de Ergométrico (Teste de Esforço)

É feito em esteira ou bicicleta para registrar a atividade elétrica do coração durante o esforço físico máximo. Também avalia o comportamento da pressão arterial e a aptidão física do paciente. É um dos mais usados para detectar arritmias e doenças de coronárias. Pode ser parte integrante de outros exames, como a cintilografia e o ecocardiograma.

Valores de referência para Colesterol

A V Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, recomenda: LDL (colesterol ruim) abaixo de 160mg/dl (Desejável: entre 100-129 mg/dl); HDL (colesterol bom) maior que 60 mg/dl; Colesterol total inferior a 240 mg/dl (Desejável: menor que 200 mg/dl).

Infarto

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Teste de Ergométrico (Teste de Esforço)

É feito em esteira ou bicicleta para registrar a atividade elétrica do coração durante o esforço físico máximo. Também avalia o comportamento da pressão arterial e a aptidão física do paciente. É um dos mais usados para detectar arritmias e doenças de coronárias. Pode ser parte integrante de outros exames, como a cintilografia e o ecocardiograma.

Tomografia do coração e vasos

Oferece imagens mais detalhadas do coração e é o principal exame para detectar obstruções de artérias e a probabilidade de doenças futuras baseando-se no índice de cálcio. Permite avaliar coronárias através de contraste com iodo e raios X (tomografia). É indicado, principalmente, quando há suspeita de doença coronária.

Eletrocardiograma de repouso (ECG)

Serve para avaliar a parte elétrica do coração – que controla a contração das fibras musculares – e pode mostrar evidências do formato do órgão e algumas doenças. Com ele, é possível verificar o ritmo, a frequência dos batimentos e o impulso elétrico dentro do coração. É realizado com a pessoa em repouso, utilizando-se 12 eletrodos colocados nas pernas, braços e no tórax, na região do precórdio.

Cintilografia

Um material radioativo é injetado para aderir ao músculo do coração, em repouso e durante atividade física. O material “pinta” as áreas com fluxo normal de sangue, deixando sem pintar aquelas em que o fluxo é insuficiente. Revela zonas isquêmicas, como regiões infartadas, doenças infiltrativas do coração, bloqueios de ramo e miocardiopatias dilatadas.

Cateterismo cardíaco

É um procedimento para avaliar a função do coração, visualizar coronárias e a presença de placas de gordura, avaliar alterações no funcionamento de válvulas e doenças congênitas. Um cateter é introduzido através da artéria até a aorta, atingindo o ventrículo esquerdo. Ali injeta-se um contraste para gerar imagens da cinecoronariografia. É o exame mais definitivo para o diagnóstico das doenças desses vasos.

Valores de referência para Colesterol

A V Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, recomenda: LDL (colesterol ruim) abaixo de 160mg/dl (Desejável: entre 100-129 mg/dl); HDL (colesterol bom) maior que 60 mg/dl; Colesterol total inferior a 240 mg/dl (Desejável: menor que 200 mg/dl).

Insuficiência Cardíaca

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Ressonância Magnética (RM)

Diferente da tomografia, não usa energia ionizante; portanto, não é prejudicial para o organismo. Gera imagens de alta resolução que permitem uma boa observação do miocárdio ou de defeitos congênitos. É útil para diagnosticar doenças de aorta e do pericárdio ou tumores cardíacos. A ressonância magnética também pode ser usada para avaliar a morfologia das câmaras cardíacas, a função global ou regional dos ventrículos e a existência de regurgitações valvulares.

Sopro

Ecocardiograma

Possibilita avaliar as medidas e a mobilidade das paredes das cavidades do coração, das válvulas, a velocidade e a direção do fluxo do sangue. Também permite ver como o coração contrai e relaxa. Analisa o pericárdio, revelando a presença ou não de derrames. Em resumo, faz uma avaliação da anatomia do coração, fornecendo dados para um diagnóstico evolutivo de doenças cardíacas.

Eletrocardiograma de repouso (ECG)

Serve para avaliar a parte elétrica do coração – que controla a contração das fibras musculares – e pode mostrar evidências do formato do órgão e algumas doenças. Com ele, é possível verificar o ritmo, a frequência dos batimentos e o impulso elétrico dentro do coração. É realizado com a pessoa em repouso, utilizando-se 12 eletrodos colocados nas pernas, braços e no tórax, na região do precórdio.

Cateterismo cardíaco

É um procedimento para avaliar a função do coração, visualizar coronárias e a presença de placas de gordura, avaliar alterações no funcionamento de válvulas e doenças congênitas. Um cateter é introduzido através da artéria até a aorta, atingindo o ventrículo esquerdo. Ali injeta-se um contraste para gerar imagens da cinecoronariografia. É o exame mais definitivo para o diagnóstico das doenças desses vasos.

Diabetes

Exame de Sangue

O nível de glicemia (açúcar) considerado normal é inferior a 100 mg/dl. Pacientes com diabetes tipo 2 não tratada apresentam nível de glicose no sangue em jejum superior a 125 mg/dl.

Triglicerídeos

Exame de Sangue

Um nível alto de triglicérides é sinal de que a sua dieta precisa de atenção, mas também pode indicar um problema hereditário. Geralmente são elevados em pessoas com diabetes mal controlado ou problemas nos rins. Considera-se normal a taxa inferior a 150 mg/dL; alto entre 200 e 499 mg/dL ; e muito alto quando é igual ou superior a 500 mg/dL.

Colesterol

Exame de Sangue

A Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, recomenda:

LDL (colesterol ruim)

Indivíduos com risco baixo: abaixo de 130 mg/dl
Indivíduos com risco intermediário: abaixo de 100 mg/dl
Indivíduos com risco alto: abaixo de 70 mg/dl
Indivíduos com risco muito alto: abaixo de 50 mg/dl

HDL (colesterol bom)

Desejável: acima de 40 mg/dl