O que é?

Sopro é o nome do ruído produzido pela passagem do sangue pelas estruturas do coração. Ele pode ser do tipo funcional (inocente), comum em até 50% das crianças saudáveis, ou patológico, associado a defeitos no coração, endocardite ou sequelas de infarto .

Ocorre quando uma válvula cardíaca tem a passagem reduzida (estenose), obrigando o sangue a passar por um orifício menor do que deveria. Um sopro por si só não é uma doença, mas indica problema com a saúde do coração.

Sintomas

Sopros funcionais (inocentes), que são comuns em crianças, não apresentam sintomas. Já um sopro anormal, que pode ser identificado pelo médico em uma avaliação com o estetoscópio, pode indicar um problema cardíaco, principalmente quando se manifesta com outros sintomas:

  • Pele azulada
  • Inchaço
  • Falta de ar
  • Tosse crônica
  • Veias do pescoço aumentadas
  • Falta de apetite
  • Problemas de crescimento (em crianças)
  • Tontura

Fatores de Risco

Estão relacionados aos sopros patológicos doenças pré-existentes e problemas cardíacos anteriores, como hipertensão, infarto anterior, radioterapia próxima do peito, endocardite anterior, hipertensão pulmonar, cardiomiopatia e uso de certos medicamentos, bebidas alcoólicas e drogas durante a gravidez.

Prevenção

Sopros funcionais (inocentes) ou patológicos, causados por infecções ou doenças cardíacas congênitas, não podem ser prevenidos. É possível, no entanto, adotar hábitos de vida que beneficiem a saúde do seu coração, como fazer exercícios regulares, não fumar, comer alimentos saudáveis, reduzir o consumo de sal, controlar a pressão arterial e o peso e reduzir o estresse.

Tratamento

O tratamento dependerá do tipo de problema que está causando o sopro cardíaco. Quando provocado por cardiopatias congênitas,o tratamento é cirúrgico, na maioria dos casos. Quando o defeito é leve, sem repercussão maior para o coração, não há necessidade de tratar.

Os procedimentos cirúrgicos para tratar o sopro podem ter o objetivo de remendar o buraco no coração ou fixar/substituir uma válvula. Em outras situações, o tratamento é feito através do cateterismo, que consiste na inserção de um cateter através da virilha na veia do coração.

O especialista também pode recomendar medicamentos que aliviem os sintomas, como diuréticos, antiarrítmicos e vasodilatadores.