compartilhar

< Voltar

Audiência pública sobre o câncer de mama aborda rastreamento em mulheres de 18 a 49 anos

Debate virtual foi promovido na Câmara dos Deputados com participação do Instituto Lado a Lado pela Vida

A presidente e fundadora do Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL), Marlene Oliveira, participou de audiência pública no dia 14 de outubro, sobre o enfrentamento ao câncer de mama nas jovens mulheres. O debate, promovido pela Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados, foi requerido pelas comissões de Defesa dos Direitos da Mulher, juntamente com as comissões de Combate ao Câncer e de Seguridade Social e Família.  

Transmitida ao vivo pelos canais da Câmara dos Deputados, a audiência pública virtual sobre câncer de mama abordou as medidas de prevenção, diagnóstico e tratamento que podem ser aplicadas em mulheres com idades de 18 a 49 anos. O programa de rastreamento do Ministério da Saúde recomenda que a mamografia, exame que identifica alterações nas mamas, seja aplicado a cada dois anos nas mulheres de 50 a 69 anos que não possuem sintomas da doença.

O debate foi aberto pela deputada federal Tereza Nelma, que também é paciente oncológica. “Troque o medo pela coragem e pela vida, esse é meu lema”, afirmou a deputada, que também citou que o câncer de mama é o mais frequente entre as mulheres no Brasil e sua incidência tem crescido entre mulheres jovens, ano após ano.

A mesa de convidados foi presidida pela deputada Lídice da Mata, com participação da coordenadora-geral de Atenção Especializada e Temática do Ministério da Saúde, Ana Patrícia de Paula; o chefe da Divisão de Detecção Precoce de Câncer do Instituto Nacional do Câncer (Inca), Arn Migowski Rocha dos Santos; e a servidora terceirizada da Câmara dos Deputados, Maria Eliane Ramos do Nascimento, que teve diagnóstico de câncer de mama antes dos 50 anos.

O câncer de mama é menos frequente nas mulheres antes dos 50 anos, de acordo com estudos feitos em vários países, inclusive no Brasil. A mamografia é o exame padrão para identificar alterações, porém nas mamas jovens, que costumam ser mais densas, a sensibilidade deste exame é menor, o que poderia resultar em um aumento dos resultados falso-negativos.

Durante a audiência pública, a presidente do LAL, Marlene Oliveira, comentou que o Instituto atua de outubro a outubro com a campanha “Mulher por Inteiro”, conscientizando sobre os tumores femininos – mama, endométrio, ovário, colo de útero e colorretal. “A incidência de cânceres nas mulheres de 25 a 39 anos aumentou nas últimas décadas. E isso é algo para o qual não podemos fechar os olhos”, disse.

A orientação do Ministério da Saúde e do Inca é de que todas as mulheres avaliem rotineiramente suas mamas e procurem as unidades de saúde caso percebam qualquer alteração. Em caso de suspeita do câncer de mama, a mamografias e outros exames complementares, como a ultrassonografia, são custeadas pelo SUS para o público de todas as faixas etárias.

E caso não haja nenhum sintoma, para viabilizar o diagnóstico precoce, o rastreamento propõe a mamografia a cada dois anos, nas mulheres de 50 a 69 anos. Pacientes com histórico familiar de câncer ou que tenham outros fatores de risco devem conversar com os profissionais de saúde para avaliar mudanças nessa conduta.

Marlene reforçou que o diagnóstico precoce é uma bandeira do Instituto Lado a Lado, mas há também um número grande de mulheres com pré-disposição genética e que precisam de um olhar diferenciado dentro do programa de rastreamento. “Essas mulheres precisam ter direito a um teste genético, porque se consigo fazer com que elas também tenham diagnóstico precoce, eu mudo esses números. É preciso falar sobre mutação genética, orientar a população e mapear isso. E não podemos só apontar o dedo e falar do que está errado, é preciso propor soluções, entender que as mulheres realmente precisam e trabalhar juntos para oferecer”, frisou.

O debate contou também com participação dos deputados Weliton Prado e Carmen Zanotto. A audiência pública integra a programação da Campanha Outubro Rosa da Câmara e pode ser conferida aqui.

Ler mais sobre esse tema:

Nossa Agenda

03 a 26 Nov

Saúde do Homem

Exposição 10 anos Novembro Azul no Senado Federal

Local: Senado Federal / Redes Sociais LAL

Horário: A Confirmar