A campanha

“Câncer por HPV: o Brasil pode ficar sem” é a mais nova campanha do Instituto Lado a Lado pela Vida para engajar adolescentes e suas famílias a aderirem à vacinação contra o HPV. O HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano) é vírus causador de diversos tipos de câncer, com destaque para o de colo do útero, que anualmente é diagnosticado em mais de 17 mil mulheres e mata mais de 9 mil no Brasil. Educar e estabelecer um diálogo com as crianças e adolescentes é fundamental se quisermos uma futura geração sem tumores causados por esse tipo de vírus. É preciso orientar quanto aos riscos do vírus e suas formas de prevenção desde o uso de preservativos à disponibilidade do imunizante no Sistema Único de Saúde. A falta de orientação é muito mais prejudicial do que a informação e a orientação, que não incentiva de forma alguma o início de uma vida sexual precoce. Vamos combater as fake news e espalhar essa mensagem para que os jovens de hoje vivam um futuro sem câncer por HPV.

Prevenção

A vacina do HPV é capaz de proteger contra várias doenças causadas pelo vírus, como verrugas genitais, câncer de colo de útero, vulva e vagina nas mulheres, de pênis nos homens e, em ambos os sexos, tumores no ânus, orofaringe e boca. Para garantir a máxima prevenção, é ideal que a vacina seja aplicada na idade indicada, de 9 a 14 anos nas meninas e 11 a 14 anos nos meninos, pois os jovens não devem ter tido ainda contato sexual.

  • Mais de 50% dos jovens brasileiros tem HPV

    Cerca de 54,6% dos brasileiros entre 16 e 25 anos estão infectados com o papilomavírus humano (HPV) segundo pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde. Do total de casos confirmados, 38,4% das pessoas registraram um dos tipos mais perigosos de HPV, capaz de causar câncer.

  • Vacina disponível no SUS

    Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos podem tomar a vacina gratuitamente no SUS. Ela também está disponível para mulheres imunossuprimidas – com o sistema imunológico fragilizado por HIV/Aids, transplantes e cânceres – de 9 a 45 anos; e homens imunossuprimidos, entre 9 e 26 anos de idade. Outros grupos etários podem dispor das vacinas em serviços privados, se indicado por seus médicos.

  • Não esqueça da 2ª dose!

    Dados do Ministério da Saúde indicam que, em 2020, a primeira dose da vacina HPV foi aplicada em cerca de 70% das meninas de 9 a 14 anos e em pouco mais de 40% dos meninos de 11 a 14 anos. Na segunda dose, os índices foram de aproximadamente 40% e 30%, respectivamente. Para garantir a eficácia da vacina é preciso completar o esquema vacinal.

Sobre a doença HPV

Blog

Confira as últimas matérias publicadas em nosso portal

Mais matérias