compartilhar

< Voltar

Câncer de Tireoide

cancer

O que é

A tireoide é uma glândula do sistema endócrino que produz hormônios responsáveis por controlar o funcionamento de diversos órgãos do ser humano. O câncer de tireoide ocorre quando há presença de um tumor maligno na glândula, que normalmente evolui de maneira lenta e, portanto, possibilita grande chance de cura ao paciente, muitos dos quais são mulheres.

Sintomas

O principal sintoma do câncer de tireoide é a presença de nódulos na glândula, localizada no pescoço. Um nódulo, porém, não indica necessariamente um câncer. Por isso, ele precisa ser avaliado por um médico, que, antes de solicitar qualquer exame, fará uma análise com base no histórico de irradiação ao qual o paciente já foi submetido e se algum membro de sua família já teve este mesmo câncer.

O especialista também leva em consideração outros fatores, como a velocidade que o nódulo cresceu, o surgimento de rouquidão e, em casos mais graves, a dificuldade para engolir alimentos e respirar. É comum, porém, que em casos de tumores pequenos o paciente pode ser assintomático.

Fatores de risco

Há três principais fatores de risco para o câncer de tireoide. São eles o histórico do paciente em relação à irradiação – como ter sido submetido à radioterapia, mesmo em baixas doses –, além do histórico familiar e o baixo consumo de iodo, que está presente em alimentos como o sal de cozinha.

O câncer de tireoide afeta três vezes mais mulheres do que homens. Em 2020, o INCA (Instituto Nacional de Câncer) registrou 13.780 novos casos, sendo 11.950 deles, o equivalente a 86,71%, em mulheres.

O INCA estima ainda que, sem considerar o câncer de pele, o de tireoide é o terceiro câncer mais frequente entre as mulheres que vivem na região Sudeste. Entre elas, a cada 100 mil diagnósticos de câncer, 17,21 mil são na tireoide.

Diagnóstico

Assim como na maioria dos cânceres, a detecção precoce do tumor é essencial para que o paciente tenha mais chances de tratamento. Os especialistas recomendam que pessoas que fazem parte de grupos de risco para a doença consultem um médico caso note a presença de um nódulo na glândula, mesmo que não tenham sintomas como rouquidão ou dificuldade para respirar e engolir.

O diagnóstico do câncer de tireoide pode ser realizado por exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos. A depender da avaliação do médico, o paciente poderá ser solicitado a fazer um exame de sangue e uma ultrassonografia. A partir dos resultados, o especialista avalia a necessidade de realizar uma punção aspirativa do nódulo para análise laboratorial, que pode confirmar ou não o diagnóstico com mais precisão.

Tratamento

O tratamento do câncer de tireoide normalmente é cirúrgico. É preciso, portanto, retirar a glândula, parcialmente ou integralmente. Em casos menos frequentes, onde há presença de carcinomas raros, a cirurgia pode não ser recomendada devido a riscos.

Há também casos em que a cirurgia pode ser suficiente para o tratamento. São em situações como estas que haverá necessidade de complementar o tratamento com iodoterapia, quimioterapia, radioterapia ou terapia alvo.

Para tomar decisões e traçar o plano de tratamento, o paciente precisa avaliar, junto com seu médico, fatores como idade, expectativa de vida, outras possíveis doenças existentes e, inclusive, a probabilidade de cura.

Prevenção

Não há muitas maneiras de se prevenir do câncer de tireoide, mas manter um peso adequado e uma dieta com a quantidade correta de iodo são dois fatores essenciais. Há boatos de que exames como Raio-X e ultrassom oferecem risco aos pacientes e podem dar origem a tumores, mas a ciência não comprova esta possibilidade.

Fontes de consulta

INCA – https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-tireoide

Fundação do Câncer – https://www.cancer.org.br/

Pesquisa realizada em 23/6/2021