compartilhar

< Voltar

Controle das doenças crônicas: por que isso é tão importante?

Cards - Conexão Cardio

As doenças cardiovasculares afetam em torno de 14 milhões de brasileiros, e são responsáveis por mais de 380 mil mortes no país, por ano. Em todo o mundo, elas lideram a causa de mortes, e nos Estados Unidos, a cada 36 segundos, uma pessoa vai a óbito por doenças cardiovasculares.

Com o objetivo de diminuir esses indicadores, a Organização Mundial de Saúde (OMS) elaborou a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que elenca uma série de medidas para reduzir em um terço a mortalidade precoce por doenças não transmissíveis – dentre elas, as cardiovasculares. O intuito é implementar ações de prevenção e tratamento em níveis individuais e coletivos que, somadas, podem prevenir cerca de 75% dos eventos vasculares recorrentes.

Os principais fatores de risco para doenças cardiovasculares são o tabagismo, hipertensão e altos níveis de colesterol. Outras condições que podem causar ou agravar o risco cardiovascular incluem diabetes, sedentarismo, obesidade, uso excessivo de álcool e alimentação não saudável.

Dessa forma, tendo ou não o diagnóstico para doença cardiovascular, mudanças de comportamento e a adoção de hábitos saudáveis refletem positivamente para a saúde cardiovascular. Confira a seguir algumas das medidas individuais que podem ser aplicadas por pessoas de todas as idades e, somadas ao acompanhamento médico regular, são comprovadamente eficazes para prevenir e controlar as doenças cardiovasculares.

Parar de fumar – A doença cardiovascular é a principal causa de óbito dentre fumantes, mas os efeitos do tabaco sobre a saúde são inúmeros, e afetam tanto a pessoa que fuma como os que não fumam. Por isso, a primeira recomendação em relação ao tabaco é não fumar. E no caso de fumantes, a dependência da nicotina deve ser tratada por uma equipe de profissionais de saúde, já que se trata de doença crônica degenerativa, e pode incluir tratamento com medicamentos antitabaco.

Independentemente da apresentação – cigarro, cachimbo, narguilé ou dispositivos eletrônicos, produtos com tabaco contém substâncias tóxicas que trazem prejuízos à saúde e devem ser evitados.

Atividade física – O sedentarismo é relacionado ao aumento de mortalidade para diversas doenças, incluindo as cardiovasculares. A prática de exercícios comprovadamente melhora o controle do peso corporal, o fluxo sanguíneo muscular e coronariano, traz flexibilidade e mobilidade articular, reduz o risco de doenças degenerativas cognitivas, diminui ansiedade e sintomas associados à depressão, entre outros benefícios. Esses ganhos podem advir, inclusive, de atividades simples como andar, subir escadas, pedalar e dançar.

As atividades físicas, esportes ou exercícios devem corresponder às condições clínicas do paciente. De forma geral, para prevenir doença cardiovascular, a recomendação é de pelo menos 150 minutos semanais de atividade com intensidade moderada, ou 75 minutos semanais para práticas com intensidade alta. Mas, mais importante do que a duração ou intensidade, é o ato de aderir a uma atividade física e abandonar o sedentarismo.

Alimentação Saudável – O hábito de consumir frutas, hortaliças e grãos, alimentos ricos em vitaminas e minerais, é uma medida eficaz para prevenir o risco e a mortalidade por doença cardiovascular. E não há evidências de que a suplementação para esses compostos, que podem ser obtidos diretamente pela alimentação saudável, tenha alguma eficácia.

Além disso, a OMS considera que uma dieta alimentar inadequada é o principal fator de risco para mortalidade precoce. Por isso, garantir a nutrição por meio dos alimentos saudáveis ainda é a melhor forma de prevenir não só as doenças cardiovasculares, mas também obesidade e hipertensão, dentre outras condições agravantes à saúde em geral.

Para garantir uma alimentação saudável, as principais recomendações são: prefira alimentos não processados (in natura) ou minimamente processados; reduza o consumo de sal e açúcar; prepare suas refeições e planeje seu cardápio para comprar o que for utilizar, evitando desperdícios; consuma água entre as refeições, ao invés de sucos e refrigerantes; faça suas refeições com calma e atenção, em horários semelhantes todos os dias; e evite alimentos contendo gorduras trans e hidrogenadas.

Condições clínicas – Pacientes diagnosticados com diabetes, hipertensão e altos níveis de colesterol precisam manter o tratamento e acompanhamento médico periódico. Junto com um estilo de vida saudável, o uso de medicamentos pode ser necessário em muitos casos para manter essas condições sob controle e, caso surjam efeitos colaterais, é importante conversar com o médico para saber quais ações podem reverter ou minimizar esses efeitos.

Fontes:

Centers for Disease Control and Prevention (CDC)Prevent Heart Disease (consultado em 20/08/2021)

Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)Doenças cardiovasculares (consultado em 19/08/2021)

Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC)Atualização da Diretriz de Prevenção Cardiovascular da SBC – 2019 (consultado em 19/08/2021)