compartilhar

< Voltar

Depressão

Saúde Emocional

O que é?

A depressão é um dos transtornos mentais mais comuns da atualidade. É caracterizado por uma apatia em relação a vida que interfere em todos os aspectos do dia a dia do indivíduo como: trabalhar, comer, dormir, estudar, se relacionar e, até mesmo, cuidar da higiene pessoal.

Fatores genéticos, biológicos, ambientais e psicológicos causam a depressão que pode ser, também, hereditária ou não. A gravidade, a frequência, a duração e os sintomas vai depender de pessoa para pessoa e o seu histórico de vida.

De acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) estima-se que mais de 300 milhões de pessoas, de todas as idades, sofram com esse transtorno. Por ser uma condição que causa bastante sofrimento, a depressão pode levar ao suicídio. Ainda de acordo com a OMS, cerca de 800 pessoas morrem, a cada ano, por suicídio. Essa é a segunda principal causa de morte entre pessoas com idade entre 15 e 29 anos.

Sintomas

Somente um especialista pode diagnosticar se uma pessoa está com depressão ou não. Essa doença é confundida com uma tristeza profunda, mas, na verdade, ela vai muito além disso. Trata-se de uma doença que é categorizada em 3 níveis: leve, moderada e grave.

Um indivíduo com episódio de depressão leve terá dificuldades em continuar um trabalho simples e atividades sociais, mas não terá grandes prejuízos no dia a dia e no seu funcionamento global.

Já um episódio de depressão grave, a pessoa não consegue realizar pequenas atividades sociais, profissionais ou domésticas. Não consegue, ao menos, fazer sua higiene pessoal. Há, também, uma distinção fundamental entre depressão entre pessoas que têm, ou não, histórico de mania. Esses tipos de depressão podem ser crônicos, ou seja, acontecem por um período prolongado, com recaídas se não for tratado.

É possível classificar a depressão em dois tipos:

  • Transtorno depressivo recorrente: envolve repetidos episódios depressivos. Nesses momentos a pessoa perde, totalmente, o interesse e o prazer em atividades simples. Muitos indivíduos sofrem com sintomas de ansiedade, falta de apetite, distúrbios do sono, sentimentos de culpa e baixa autoestima;
  • Transtorno afetivo bipolar: caracteriza-se pela alternância de mania e depressão, separados por momentos de humor normal.

Tratamento

O tratamento conjunto entre um psicólogo e um psiquiatra são eficientes. Esses profissionais vão indicar o melhor caminho entre a psicoterapia e remédios que vão melhorar a qualidade de vida do paciente.

Ao sentir diferença no humor e na forma como realiza as atividades do dia a dia já é um alerta para procurar esses profissionais e ter um diagnóstico precoce, que auxilia no tratamento eficaz da doença.

Prevenção

Hoje em dia, com a vida corrida das grandes cidades e as facilidades da tecnologia nas nossas mãos, parece impossível não acelerar os pensamentos e não desenvolver preocupações que acarretam ansiedade e depressão. No entanto, uma das formas de não cair nessas armadilhas são as mudanças que devem ser feitas de dentro para fora.

Dedicar um tempo para se cuidar, desacelerar, adquirir o hábito de escrever e organizar os pensamentos e praticar atividades física são formas de preservar a sua saúde mental. Além disso, estar com pessoas queridas, fazer o que gosta e se impor nas suas relações também são fatores fundamentais.

Em muitos casos a depressão aparece em decorrência de uma situação não esperada e causa sofrimento. Nem sempre estamos preparados para o que a vida nos reserva, mas se fortalecer mentalmente, fisicamente e espiritualmente já é um grande caminho para superar qualquer adversidade.

Importante

Tenha como meta se desligar do celular e se desintoxicar das redes sociais. Esse tempo use para ler um livro, meditar ou, simplesmente, caminhar. Isso faz uma grande diferença na saúde.

Fonte de consulta
OMS (Organização Mundial da Saúde)
Guia Prático da Eureka sobre Depressão e Ansiedade – 1ª Edição