compartilhar

< Voltar

Doença arterial periférica (DAP)

Doenças Cardiovasculares

O que é?

Popularmente conhecida como DAP, a doença arterial periférica dificulta a circulação sanguínea nas pernas e causa dor ao andar. Isso ocorre devido ao acúmulo de placas de gordura e a perda de flexibilidade nos vasos sanguíneos, o que faz eles se estreitarem e até se fecharem completamente.

A doença arterial periférica precisa ser descoberta e tratada o quanto antes, porque quem sofre dela corre risco maior de ter as artérias que irrigam o coração e o cérebro entupidas, o que os coloca em grupo de risco para risco de infarto e AVC.

Sintomas

Entre os principais sintomas da doença arterial periférica, estão cansaço e fisgadas nas pernas, principalmente na panturrilha, além de sensações curtas de cãibras, que melhoram ao interromper a movimentação, perda de pelos nas pernas, unhas enfraquecidas e infecções constantes nos pés.

Fatores de risco

Pessoas acima dos 50 anos correm mais risco de ser afetadas pela doença arterial periférica, assim como quem fuma, tem excesso de peso, diabetes, colesterol alto e hipertensão.

Diagnóstico

O diagnóstico precoce da doença arterial periférica pode ajudar a evitar consequências graves. Para isso, os médicos comparam a pressão arterial dos braços e das pernas. O indicativo para a doença é quando a pressão das pernas é consideravelmente menor.

Tratamento

O tratamento contra a doença arterial periférica começa a partir da redução, ou se possível da eliminação, do que causa as obstruções nos vasos sanguíneos. Isso pode ser feito a partir do uso de anticoagulantes combinado à uma dieta equilibrada e exercícios físicos, que estimulam a circulação. 

Para os casos mais graves, há ainda a possibilidade de tratamento cirúrgico, com a inserção de um stent no vaso sanguíneo que apresenta o problema de circulação. Ao abrir o caminho, o stent facilita a passagem de sangue.