compartilhar

< Voltar

Ejaculação Precoce

Saúde do Homem

O que é?

É uma disfunção sexual masculina que acelera o processo de ejaculação durante o ato sexual. Ela ocorre com grande frequência e é caracterizada pela insatisfação do tempo de penetração até a ejaculação.

Os resultados são graves, com abalo psicológico e afastamento na intimidade sexual. Além disso, pode gerar preconceito, por parte do próprio paciente, o que o leva à falta de diagnóstico e tratamento.

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), no Brasil, um a cada quatro homens manifestam esta disfunção. A média considerada normal para o tempo de ejaculação masculina é de três minutos a partir do momento da penetração.

Sintomas

A ejaculação precoce não é considerada uma doença, mas sim um sintoma que pode aparecer por problemas orgânicos ou psicológicos. Cerca de 30% dos homens adultos relatam a ocorrência de episódios de ejaculação precoce. Por isso, ao aparecer o sintoma é necessária a investigação para saber qual é a origem do problema.

Fatores de Risco

Os fatores que influenciam a ejaculação precoce são muito variados e se caracterizam por motivos psicológicos e orgânicos.

A ansiedade é responsável por grande parte dos casos, mas doenças como prostatite, alterações que envolvam o hormônio serotonina e problemas na tireoide também são apontados como causadores.

O grupo de risco entre faixa etária também é muito grande, já que os fatores são passíveis de ocorrer em qualquer idade a partir da adolescência ou início da vida sexual.

Prevenção

A principal causa da ejaculação precoce é a ansiedade. Ela pode estar relacionada com a preocupação em satisfazer o outro durante o ato sexual e até mesmo com preocupações do dia a dia.

A tensão provoca a ansiedade, mas pode ser aliviada com atividades que relaxem o corpo e a mente. Exercícios físicos são uma ótima saída para descontrair a cabeça e manter o corpo ativo, além de liberar endorfina.

Diagnóstico

É feito através de exames clínicos com base no depoimento do paciente. Com relatos sobre a ocorrência e frequência dos eventos, o especialista pode pedir exames complementares, como de dosagem hormonal.

A ejaculação precoce pode ser identificada em três níveis: primária – acomete o paciente desde a primeira relação sexual; secundária – quando apresenta espaços de tempo sem ejaculação precoce; e ocasional ou situacional – tem uma frequência menor e com algumas pessoas.

Tratamento

O tratamento para ejaculação precoce é baseado em psicoterapia sexual e farmacoterapia. Antidepressivos e analgésicos também são opções bastante usadas. Já os inibidores de fosfodiesterase do tipo-5 são mais aplicados em situações que envolvam disfunção erétil-impotência. Muitos especialistas indicam a combinação das duas opções para um melhor resultado.

Outra maneira de se sentir mais tranquilo com a situação é conversar com a sua parceira (o) sobre o assunto. Caso o problema seja de origem psicológica, uma terapeuta sexual pode ajudar a descobrir a causa e até a cura.

Algumas técnicas são utilizadas como paliativos para ajudar no controle do momento do coito. Uma terapeuta sexual pode orientar e explicar como cada técnica pode ser aplicada pelos casais.

Perguntas frequentes

Existe um tempo mínimo para ejacular?
Não. O ato sexual se difere para cada pessoa e o tempo até a ejaculação envolve outros aspectos como excitação e ansiedade.

Como descobrir se tenho ejaculação precoce?
É considerada ejaculação precoce quando o evento se repete sempre ou quase sempre em um período muito curto, causando insatisfação sexual. A consulta com um urologista é a melhor forma de se obter um diagnóstico correto.

Apenas adolescentes têm ejaculação precoce?
Não. Apesar dos jovens terem menos experiência e confiança durante o sexo, qualquer um com vida sexual ativa pode ter ejaculação precoce. Os motivos são muito variados e pode ocorrer por ansiedade ou por doenças como a prostatite. O recomendado é procurar um urologista para identificar a causa e os possíveis tratamentos. 

Existe diferença entre ejaculação precoce e disfunção erétil?
Sim. A ejaculação precoce é um sintoma relacionado a questões emocionais e doenças e não permite um longo tempo de ereção. Já na disfunção erétil, que pode ser desencadeada pela ejaculação precoce, não é possível ter ereção em nenhum momento. Ambos levam o casal à insatisfação sexual.

Posso ter orgasmos mesmo com ejaculação precoce?
Sim. O orgasmo representa o ápice do prazer no ato sexual e não precisa estar ligado à ejaculação. Ele pode vir antes ou depois e até mesmo junto. Porém, como a ejaculação precoce ocorre em um período muito curto de penetração ou na falta dela, gera um desconforto que acaba por impedir o desenvolvimento da ação e interfere no aproveitamento do sexo, prejudicando o alcance do orgasmo.  

Fontes de consulta

SOCIEDADE BRASILEIRA DE UROLOGIAhttps://sbu-sp.org.br

Pesquisado em 11/03/2021