compartilhar

< Voltar

Infecção Urinária

Saúde do Homem

O que é?

A Infecção do Trato Urinário (ITU), conhecida como infecção urinária, pode ocorrer na uretra, bexiga, ureteres e rins. É mais comum no trato inferior, composto pela bexiga e uretra.

É um dos tipos de infecção bacteriana mais comuns no ser humano. Quase sempre, é causada por micro-organismos que ficam nas fezes sem provocar doença, mas que, por alguma razão, entram no canal urinário, ou seja, onde não podiam entrar.

Em mais de 95% dos pacientes, a infecção é de origem bacteriana, sendo a bactéria Escherichia coli (E. coli) responsável por mais de 3/4 destes casos.

O local onde a infecção ocorre influencia os tipos, causas e sintomas. Os tipos mais comuns são: cistite (infecção na bexiga); uretrite (infecção na uretra); infecção nos ureteres; e pielonefrite (infecção nos rins), uma infecção grave que pode levar à sepse [infecção generalizada] e até a óbito.

As infecções urinárias costumam acometer mais as mulheres, por um detalhe anatômico: a uretra, que é o canal urinário, na mulher é mais curto do que no homem, desta forma fica mais fácil para a bactéria chegar à bexiga.

Embora com menos frequência, os casos de infecção urinária também atingem os homens, mas, diferente das mulheres, é um indicativo de outros problemas como, por exemplo, o aumento da próstata. Como o homem não consegue urinar direito, o jato de urina não tem pressão e a bactéria vai conseguindo subir até a bexiga.

Sintomas

Os sintomas dependem do local onde a bactéria se instala. Quando ocorre a infecção na uretra, pode haver uma urgência e vontade de urinar com frequência, seguida de dor no canal urinário.

Quando a bactéria infecta os rins, pode causar febre alta, dores nas costas (do lado do rim infectado), náuseas e vômitos.

Outros sintomas comuns são:

  • Urina leitosa com odor acentuado.
  • Sangue misturado à urina.
  • Ardência forte ao urinar.
  • Urina escura.
  • Dor pélvica.
  • Dor no reto.
  • Aumento da frequência de micções.

É bom saber: febre, dor nas costas, náusea, vômitos, perda de apetite e calafrios podem indicar que a infecção alcançou os rins. É preciso procurar o serviço médico com urgência nesses casos.

Fatores de risco

No homem, em que a ocorrência é bem menos significativa do que nas mulheres, a maior parte das infecções urinárias tem como fator de risco a pouca ingestão de água ou a obstipação (prisão de ventre).

Além disso, a prática de sexo sem preservativo aumenta as chances de contaminação. Alguns homens com hiperplasia benigna da próstata podem reter urina na bexiga por muito tempo, o que também predispõe a infecções.

Ter o sistema imunológico suprimido impede que as defesas do corpo atuem propriamente, facilitando a entrada de bactérias que causam infecções.

Prevenção

Algumas medidas podem prevenir infecções do trato urinário:

  • Beber bastante líquido
  • Urinar após relações sexuais para esvaziar a bexiga e diluir a urina
  • Limpar-se após urinar para evitar que bactérias se acumulem
  • Usar preservativo durante a relação sexual

Nos homens com hiperplasia benigna da próstata, a redução da ingestão de cafeína, de álcool e determinados medicamentos podem ajudar a melhorar o fluxo de urina e a prevenir a sua retenção na bexiga, diminuindo assim a probabilidade de infecção urinária.

Diagnóstico

Os principais exames feitos para detectar a infecção urinária são:

Exame de urina: é o mais comum e rápido. Nele, a urina é analisada à procura de leucócitos e sangue, sinais de infecção.

Cultura de urina: a amostra de urina geralmente é submetida a uma análise no laboratório, onde irá cultivar a bactéria, para identificar o tipo e os antibióticos mais eficientes contra ela. É o melhor exame para identificar o tipo de infecção, mas leva cerca de 3 a 5 dias para ser concluído.

Exames de imagem: um ultrassom ou uma tomografia também são capazes de detectar anormalidades no trato urinário.

Tratamento

O tratamento do problema vai depender muito do tipo e gravidade da infecção. Geralmente, são prescritos antibióticos para combater a bactéria e analgésicos para aliviar a dor e ardência ao urinar.

De um modo geral, grande parte das infecções urinárias não complicadas são completamente eliminadas com sete dias de tratamento. Caso seja diagnosticada uma infecção urinária alta (rins e ureteres, denominada pielonefrite) ou uma infecção da próstata, o médico pode prescrever antibióticos durante duas semanas ou mais.

Há ainda casos muito graves que exigem tratamento em regime de internação hospitalar, com medicamentos administrados por via endovenosa. Esses quadros geralmente se manifestam com febre, dor, vômitos e náuseas.

Perguntas frequentes

O que causa a infecção urinária?
No geral, o problema é causado principalmente por germes vindos do intestino. Tanto que, em 85% dos casos, o problema é provocado por uma bactéria intestinal chamada Escherichia coli.

A doença é transmissível?
Não. No entanto, pode se manifestar após relações sexuais porque o pH da região fica alterado. Entre mulheres que variam muito de parceiro, a incidência é comprovadamente maior.

Pode ser transmitida sexualmente?
Apesar de a transmissão ambiental ser mais comum, vale tomar cuidado com a transmissão sexual. Toda vez em que existir uma bactéria em um dos parceiros, ela pode ser transmitida sexualmente. Se alguém tiver uma infecção urinária com um germe chamado clamídia, por exemplo, ela pode sim comprometer a via urinária e sexual.

Existem pessoas com predisposição a ter infecções urinárias?
Sim. Há vários motivos que podem facilitar esse problema. É preciso ficar atento ao histórico familiar, baixa resistência e doenças como Aids, diabetes e câncer, que também são agravantes. Uso de espermicidas, múltiplos parceiros e cálculo urinário também predispõem.

O que acontece quando a infecção urinária não é tratada?
Quando não tratada, a infecção tende a evoluir, pode se transformar em uma pielonefrite, que pode gerar um quadro de infecção generalizada, conhecido como sepse. Além disso, pode levar à formação de abscessos no rim.

Como evitar a infecção urinária?
As principais recomendações são: beber muita água, para tornar a urina mais límpida; urinar depois da relação sexual, não segurar urina por muito tempo e, caso este seja um problema recorrente, procurar um urologista para investigar o caso.

Ela é mais frequente em pessoas idosas?
Sim, uma vez que a resistência diminui com a idade.

Fontes de consulta

SOCIEDADE BRASILEIRA DE UROLOGIA (SBU)https://sbu-sp.org.br

Atualizado em 02/2019
Pesquisado em 15/03/2021