compartilhar

< Voltar

Morte súbita

Doenças Cardiovasculares

O que é?

A morte súbita é uma parada cardíaca que ocorre de repente e, na maioria das vezes, está relacionada a doenças cardiovasculares, como obstrução das artérias, ou neurológicas, como AVC (acidente vascular cerebral) ou convulsões.

Entre as cerca de 17 milhões de mortes causadas por doenças cardiovasculares anualmente no mundo, quatro milhões são por morte súbita, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Algumas pessoas morrem de maneira instantânea, mas outras apresentam sinais de sofrer o mal súbito e, portanto, podem ainda ser socorridas e salvas.

Sintomas

A morte súbita, considerada o estágio final da parada cardíaca, pode ser precedida por dor no peito, falta de ar, fraqueza, tonturas, desmaio, palpitações, paralisia do rosto e da perna em um dos lados do corpo, dificuldade de falar ou compreender a linguagem, perda ou escurecimento da visão em um olho só, perda do equilíbrio ou da coordenação motora, além de dor de cabeça intensa.

Como socorrer alguém que está sofrendo um mal súbito?

Antes de tudo, é preciso manter a calma. Peça para alguém ligar imediatamente para o 192, telefone do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), e dê início à massagem cardíaca.

Para realizar a massagem cardíaca corretamente, é necessário comprimir forte e rapidamente o peito da pessoa, para garantir a circulação do sangue e manter a pessoa viva até a chegada do desfibrilador com o SAMU.

Causas

A morte súbita ocorre a partir de um distúrbio elétrico no coração, a arritmia, que interrompe o bombeamento do sangue e, consequentemente, sua distribuição para o corpo.

Entre os fatores cardiológicos que mais levam à morte súbita, está a obstrução das artérias do coração por doenças como isquemia miocárdica e infarto, além de doenças no músculo cardíaco, como a cardiopatia hipertrófica, que torna os tecidos do coração espessos, e distúrbios elétricos, como arritmias.

Já entre as causas neurológicas mais frequentes, está a crise convulsiva aguda, que pode estar ligada à meningite ou à epilepsia, e AVCs, tanto hemorrágico, quando há sangramento no interior do crânio, quanto isquêmico, quando o fornecimento de sangue e oxigênio para o cérebro é interrompido.

O consumo de drogas e doenças metabólicas como o diabetes também podem estar relacionados à morte súbita.

Fatores de risco

Não raro, o primeiro sintoma de uma doença cardiovascular pode ser a morte súbita. Homens entre 60 e 70 anos são o grupo populacional que mais corre risco para o mal súbito, mas pessoas com histórico de infarto, doença genética ou insuficiência cardíaca também são suscetíveis.

Prevenção

Para se prevenir da morte súbita, os especialistas indicam a prática de atividades físicas ao menos três vezes por semana, somada a uma alimentação rica em frutas, verduras, grãos e proteínas, com pouca gordura, açúcar e sal, e consumo de no mínimo dois litros de água por dia.

É recomendado ainda uma boa noite de sono, medidas para reduzir os níveis de estresse, como uma psicoterapia, e, claro, atenção a sinais de doenças cardiovasculares aliada a um check-up cardiológico uma vez ao ano.

Fonte de pesquisa

Sociedade Brasileira de Cardiologia – https://www.portal.cardiol.br/

Pesquisa realizada em 5/7/2021