compartilhar

< Voltar

Obesidade infantil

Doenças Crônicas

O que é?

É uma disfunção caracterizada pelo excesso de peso em bebês e crianças com até 12 anos de idade. O aumento da gordura corporal pode acarretar doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto, que são fatores de risco para as doenças do coração.

No Brasil, uma em cada três crianças de 5 a 9 anos está acima do peso. Escolares obesos entre 13 e 17 anos representam 7,8%. Projeções da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que até 2025 o número de crianças com sobrepeso e obesidade no planeta pode chegar a 75 milhões, caso nada seja feito.

Doenças Associadas

A obesidade infantil aumenta o risco de complicações como:

  • Doença cardíaca precoce
  • Síndrome metabólica
  • Depressão
  • Diabetes tipo 2
  • Asma
  • Distúrbio do sono
  • Esteatose hepática não alcoólica
  • Baixa autoestima
  • Colesterol alto
  • Hipertensão

Fatores de Risco

O excesso de peso em crianças pode surgir pela combinação de alguns fatores, como:

  • Dieta rica em gordura saturada e alimentos industrializados
  • Sedentarismo
  • Fatores psicológicos como o estresse
  • Histórico familiar de obesidade
  • Doenças Hormonais
  • Medicamentos à base de corticoides

Tratamento

A mudança no estilo de vida é fundamental para tratar a obesidade. Os métodos são os mesmos para crianças e adultos e incluem:

Prática diária de atividades físicas, programada (academia, esportes) ou não programada (recreativa).

Dieta balanceada, rica em frutas, vegetais e cereais e com consumo reduzido de industrializados, açúcar e sódio.

Independentemente da adoção de hábitos saudáveis, que todo indivíduo deve incorporar desde a infância, é importante o acompanhamento médico, em todas as fases da vida, com consultas regulares, seja no sistema público (SUS) ou no privado, para que o diagnóstico da obesidade e recomendação de tratamento sejam feitos com responsabilidade.

Dicas

Um dos desafios para combater a obesidade infantil é convencer a criança, que está acostumada a alimentos industrializados, a fazer uma alimentação saudável. Uma forma de ajudar é estimular a criança a participar do processo de elaboração da refeição, para que entenda a importância de um prato balanceado. Lançar mão do apelo visual dos alimentos, criando formas de animais, brinquedos, casas com verduras e legumes, transforma o momento da alimentação em uma atividade lúdica e saudável.

O LAL tem um flyer que produzimos com uma pediatra/endocrinologista para uso em escolas, que podemos colocar o link aqui.

Fontes de consulta

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE)

– https://www.ibge.gov.br

Atualizado em 10/2019
Pesquisado em 02/03/2021