compartilhar

< Voltar

Osteosarcoma

cancer

O que é?

Osteossarcoma é o câncer que se desenvolve nos ossos. As mesmas células que formam este câncer também são responsáveis por produzirem a matriz óssea, mas os tumores não costumam ser tão rígidos quanto os ossos. 

A maior incidência deste câncer é em crianças e, principalmente, adolescentes, mas ele também pode ser diagnosticado em outras faixas etárias. Nos jovens, as áreas mais atingidas são extremidades de ossos longos, que normalmente estão em fase de crescimento.

Sintomas

Um dos sintomas mais comuns do osteossarcoma é a dor óssea. A princípio, o incômodo pode não ser constante e se agravar apenas durante a noite ou após a realização de atividades físicas.

Dores e inchaços, no entanto, também são comuns em crianças e adolescentes, que estão sempre em movimento. O importante é o paciente e seus responsáveis ficarem atentos para, caso estes sintomas não desapareçam, procurar um médico.

Em alguns casos, dependendo da localização do tumor, o próprio paciente consegue sentir o nódulo. Se o nódulo não desaparecer entre uma e duas semanas, os especialistas também recomendam uma avaliação médica.

Fraturas, por fim, também podem ser um sinal de osteossarcoma, já que o câncer enfraquece a matriz óssea. Normalmente, ao fraturar uma região próxima ao tumor, os pacientes relatam que sentiram dor no membro há meses.

Fatores de risco

O risco de osteossarcoma é maior entre crianças e adolescentes, do sexo masculino, o que pode estar ligado ao crescimento rápido dos ossos. Jovens com a doença normalmente são altos demais para sua idade.

A exposição à radiação ionizante também é um fator de risco para osteossarcoma. Os pesquisadores ainda não sabem se exames de imagem, como raio-x, podem aumentar os riscos, mas há médicos que evitam pedir esses exames a crianças.

Diagnóstico

Ao investigar desconfortos que podem estar relacionados a osteossarcoma, o médico pode pedir ao paciente exames de imagem – como raio-x, tomografia computadorizada ou ressonância magnética – para analisar as estruturas ósseas dos pacientes à procura de nódulos ou lesões suspeitas.

É difícil, porém, confirmar um diagnóstico somente a partir dos exames de imagem. É por este motivo que uma biópsia pode ser solicitada ao paciente. Ao remover parte do tecido ósseo para análise laboratorial, é possível confirmar ou não confirmar se o tumor é maligno ou benigno.

Tratamento

O osteossarcoma pode ser tratado por meio de procedimentos cirúrgicos, quimioterapia ou radioterapia. Normalmente, a quimioterapia é prescrita depois da cirurgia, por oferecer a possibilidade de diminuir os riscos de o câncer reincidir.

Há oncologistas que preferem prescrever a quimioterapia antes, para que a cirurgia seja menos invasiva. Os procedimentos cirúrgicos normalmente são agressivos. Vão da remoção de uma pequena área do tecido ósseo à realização de enxerto em torno da fratura até à amputação de algum membro, em casos mais graves.

Prevenção

Para se prevenir do osteossarcoma, os especialistas recomendam que os pacientes mantenham um peso corporal adequado e abandonem hábitos que podem enfraquecer os ossos, como o consumo de refrigerantes e o tabagismo.

Não há, porém, grandes evidências sobre o que pode realmente prevenir este câncer, já que a maior parte dos fatores de risco é incontrolável, como o crescimento rápido dos ossos de crianças e adolescentes.

Fonte de consulta

American Cancer Society https://www.cancer.org/cancer/osteosarcoma/

Pesquisa realizada em 25/6/2021