compartilhar

< Voltar

Transtorno do Estresse Pós-Traumático

Saúde Emocional

O que é?

O Transtorno de Estresse Pós-Traumático é um distúrbio de ansiedade que se desenvolve após o indivíduo ter sofrido alguma situação traumática que, em geral, apresentou riscos a sua vida ou a vida de terceiros. O transtorno também pode aparecer depois de situações que a pessoa foi vítima ou testemunha de atos violentos.

A pessoa, ao recordar o acontecimento, revive a situação como se estivesse acontecendo naquele momento. O sentimento passa a ser tão real que ela sente os mesmos sentimentos, dores e emoções que sofreu. Esse estado é chamado de revivescência e desencadeia alterações neurofisiológicas e mentais.

Uma recente pesquisa realizada pela UNIFESP (Universidade Federal do Estado de São Paulo) e por outras universidades, com pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz levantou a hipótese de o transtorno ser ocasionado por um desequilíbrio nos níveis de cortisol ou na redução de 8% a 10% do córtex pré-frontal e do hipocampo, áreas localizadas no cérebro.

Sintomas

Os sintomas podem demorar anos para aparecer, mas geralmente estão divididos em três categorias:

  • Reexperiência traumática: pensamentos recorrentes que remetem a situação e flaschbacks, pesadelos.
  • Isolamento social: é comum a pessoa se isolar para evitar sentimentos, situações, pessoas e atividades que possam fazer ela se lembrar do que aconteceu.
  • Sintomas psíquicos e psicomotoras: taquicardia, sudorese, tonturas, dores de cabeça, distúrbios do sono, dificuldade de concentração, irritabilidade e hipervigilância.

Tratamento

O primeiro passo para se tratar esse tipo de transtorno é identificar a situação traumática. Isso geralmente é feito com a psicoterapia. Quando necessário é preciso que o indivíduo tome medicamentos ansiolíticos.

Importante

O Transtorno de Estresse Pós-Traumático está aumentando nas últimas décadas, porém, não são todas as pessoas que passaram por momentos traumatizantes que vão desenvolver esse problema. Há pessoas mais vulneráveis que outras. Não subestime os sintomas em crianças e idosos. Eles podem desenvolver a doença após algum evento traumático.

Fonte de consulta
Site Dr. Drauzio Varella