compartilhar

< Voltar

Transtorno Obsessivo Compulsivo

Saúde Emocional

O que é?

De todos os transtornos mentais, o Transtorno Obsessivo Compulsivo, mais conhecido como TOC, é a 10ª causa de incapacidade no mundo e no Brasil, de acordo com dados da OMS (Organização Mundial de Saúde). A doença atinge cerca de 4 milhões de pessoas.

Esse transtorno é um distúrbio psiquiátrico no qual a principal característica é a presença de crises recorrentes de obsessão e compulsão. Essa obsessão é de pensamentos, ideias, imagens que invadem a pessoa e se repetem dentro da cabeça do indivíduo. Para se livrar deles por algum tempo, a pessoa desenvolve uma compulsão por rituais. Segue regras, movimentos repetitivos e etapas rígidas como um modo de aliviar a tensão e a ansiedade.

Alguns portadores dessa desordem acham que se não realizarem esse tipo de ritual, algo muito grave vai acontecer com elas. Porém, esses rituais bloqueiam a rotina tornando-se um obstáculo não só para ele como para a família. Os rituais se desenvolvem, muitas vezes, nas áreas da limpeza, checagem ou conferência, contagem, organização, simetria, colecionismo, mas podem variar de acordo com a evolução da doença.

Causas e Sintomas

As causas desse problema não estão bem esclarecidas, mas, certamente, trata-se de um problema multifatorial. Há estudos que sugerem alterações na comunicação entre determinadas zonas cerebrais que utilizam a serotonina. Fatores psicológicos e histórico familiar também contribuem para o desenvolvimento dessa síndrome.

Todas as pessoas podem manifestar rituais compulsivos, mas nem sempre eles são caracterizados como TOC. O que vai diferenciar é a intensidade e a compulsão. Assim, obsessão ao estremo com limpeza, higiene, dificuldade para pronunciar algumas palavras, medo de realizar alguma dificuldade com receio de que algo ruim vai acontecer, pensamentos relacionados a morte e acidentes são sintomas desse tipo de transtorno.

Tratamento

Há dois tipos de tratamento, o medicamentoso e o não medicamentoso.
Os antidepressivos ajudam a melhorar a ansiedade, mas a psicoterapia também é bastante eficaz nesse tipo de doença.
Na terapia, o especialista colocará o individuo em contato com a situação que lhe causa ansiedade, a fim de trabalhar os gatilhos e percepções do indivíduo diante dessa situação. O trabalho conjunto de medicamento e terapia é o mais eficiente.

Importante

É muito comum as crianças desenvolverem certos rituais, no entanto, o que deve chamar a atenção dos pais é a intensidade e a frequência desses episódios. O limite entre o TOC e a normalidade é muito tênue.

Fonte de consulta
Site Dr. Drauzio Varella