Tratamento Sistêmico

  • O tratamento de quimioterapia funciona interrompendo ou diminuindo o crescimento das células cancerosas, que se dividem e aumentam rapidamente. Estes medicamentos são geralmente administrados por via oral ou na veia (corrente sanguínea).

    Ela também é chamada de terapia sistêmica, o que significa que as drogas percorrem a corrente sanguínea em todo o corpo. Por isso, esse tratamento não é considerado seletivo, pois não só destrói as células de câncer, mas também as células saudáveis que crescem e se dividem rapidamente.

    Temos como exemplos as células da mucosa da boca, intestino, do cabelo e do sangue que se dividem rápido, podendo causar alguns efeitos colaterais. Estes efeitos poderão ser prevenidos ou diminuídos se bem coordenados pela equipe de cuidados. Eles dependerão do tipo de medicamento ou combinação de medicamentos do tratamento.

Efeitos colaterais do tratamento sistêmico

  • Alimentação muito menos do que o normal ou não alimentação. Falta de apetite pode ser causada por uma mudança do gosto ou cheiro, sensação de estufamento abdominal, crescimento tumoral, desidratação ou efeitos colaterais do tratamento. Podendo ser agravado por muitas coisas, como problemas de deglutição, depressão, dor, náuseas ou vômitos.

    Causas associadas?

    • Alteração do paladar
    • Aumento do tumor
    • Desidratação
    • Náuseas ou vômitos
    • Dor ou dificuldade ao deglutir

    O que devo fazer?

    • Reporte essa falta de apetite para equipe de cuidados (médico, enfermeiro, nutricionista).
    • Tenha uma dieta saudável, coma pequenas porções e frequentes.
    • Se possível, varie temperos.
    • Evite o jejum prolongado.
    • Se possível, realize as refeições com outras pessoas (familiares ou amigos).

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Se tiver náuseas ou vômitos sem controle medicamentoso (orientado pela equipe médica)
    • Sente dor ao comer
    • Não se alimenta por 1 dia
    • Dor não controlada
    • Não urina ou diminuiu a quantidade
    • Não tem movimentos intestinais
    • Notou perda de peso
  • Perda de Peso

    Causas associadas?

    • Diminuição da ingesta alimentar (devido a náuseas ou pouco apetite)
    • Diarreia
    • Vômitos
    • Desidratação

    O que eu posso sentir?

    • Perda de peso de 5Kg ou mais em uma semana ou menos
    • Pele seca
    • Fraqueza/Cansaço
    • Aumento da sede
    • Tontura

    O que devo fazer?

    • Beba bastante água e outros líquidos.
    • Coma alimentos ricos em proteínas.
    • Converse com a nutricionista sobre suplementos alimentares.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Perda de 5 Kg ou mais em um curto tempo
    • Falta de ar
    • Tontura

    Aumento de Peso

    Causas associadas?

    • Diminuição de atividade física (mesmo que rotineira).
    • Aumento de a ingesta alimentar.
    • Retenção de líquido.
    • Alguns medicamentos (uso de corticoides diariamente)

    O que eu posso sentir?

    • Aumento de peso 5 Kg ou mais
    • Inchaço
    • Falta de ar

    O que devo fazer?

    • Diminua a ingestão de sal.
    • Dieta saudável e balanceada (menos calorias) orientada pelo nutricionista.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Aumento de 5 kg ou mais em um curto período
    • Falta de ar
    • Tontura
  • Pele seca

    Causas associadas?

    • Desidratação
    • Calor
    • Frio
    • Má nutrição

    O que eu posso sentir?

    • Pele vermelha, áspera e escamosa
    • Rachaduras na pele

    O que devo fazer?

    • Aplique hidratante corporal sem álcool após o banho com a pele ainda úmida.
    • Banhos com água fria ou morna, sem esfregar a pele e deixe secar suavemente.
    • Ingerir bastante líquido durante o dia.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Se houver feridas na pele.
    • Caso perceba sinais de infecção, como pus, ou aumento da sensibilidade.
  • O que eu posso sentir?

    As unhas podem tornar-se quebradiças, secas e rachadas.

    O que devo fazer?

    • Cortar as unhas delicadamente.
    • Retirar apenas o excesso da cutícula se necessário (utilizando material descartável, esterilizado e de uso particular).
    • Utilize loções e cremes para manter suas unhas e cutículas saudáveis.
    • Não use produtos de fortalecimento de unhas. Eles podem irritar sua pele ou unhas.
    • Não utilize unhas artificiais, pois podem causar infecções fúngicas.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    Comunique a equipe se houver vermelhidão, dor ou outras alterações nas unhas.

  • A constipação consiste no retardo ou diminuição da evacuação (saída das fezes), causando dor ou desconforto. Muitas vezes requer esforço excessivo para saída.

    Causas associadas?

    • Analgésicos e medicamentos para cessar a náusea.
    • Diminuição das atividades devido ao cansaço durante o tratamento de quimioterapia.
    • Diminuição da ingestão de alimentos e líquidos.

    O que eu posso sentir?

    • Pequenos movimentos intestinais
    • Fezes duras
    • Dor ou desconforto abdominal (sensação de “barriga cheia” ou inchada)
    • Presença de muitos gases

    O que devo fazer?

    • Beber mais líquidos (água, chá, suco de frutas).
    • Ingerir alimentos que possuem fibras: pães e cereais integrais, frutas cruas, com cascas e sementes, legumes crus e frescos, damasco, passas, ameixas, nozes.
    • Evitar alimentos e bebidas que causem gases, como refrigerantes, repolho e brócolis.
    • Realizar atividades que movimentem o corpo na medida do possível, como caminhadas, atividades rotineiras.
    • Só utilize laxantes, supositórios ou medicamentos para lavagem intestinal se indicado pela equipe de cuidados.
    • Esteja atento à sua vontade de ir ao banheiro evacuar. Não “segure” as fezes.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Não evacua há 2 ou 3 dias.
    • Presença de sangue nas fezes ou ao redor da região anal.
    • Se o uso de laxante, orientado pelo médico, não obteve resultado.
    • Desconforto ou inchaço abdominal.
  • Causas associadas?

    O que eu posso sentir?

    • Pequenos movimentos intestinais
    • Fezes amolecidas e líquidas
    • Dor ou desconforto abdominal (sensação de “barriga cheia” ou inchada)
    • Presença de muitos gases

    O que devo fazer?

    • Beber mais líquidos (água, chá, suco de frutas).
    • Evitar alimentos ricos em fibras.
    • Evitar alimentos e bebidas que causem gases, como refrigerantes, repolho e brócolis.
    • Evitar álcool, cafeína e alimentos picantes.
    • Limpar a área anal com sabão neutro após cada movimento intestinal. Enxágue bem com água morna.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Não evacua há 2 ou 3 dias.
    • Presença de sangue nas fezes ou ao redor da região anal.
    • Dor, desconforto ou inchaço abdominal.
    • Não consegue ingerir líquidos com frequência.
  • Causas associadas?

    • A doença (câncer)
    • O tratamento
    • Dor persistente
    • Anemia
    • Problemas cardíacos ou de tireóide
    • Falta de descanso
    • Dieta inadequada
    • Desidratação

    O que eu posso sentir?

    • Fraqueza
    • Falta de concentração
    • Falta de motivação física
    • Irritabilidade, nervosismo, ansiedade
    • Cansaço mesmo depois do descanso

    O que devo fazer?

    • Realizar atividades de rotina quando tiver mais energia.
    • Delegar atividades quando puder.
    • Alimentação saudável e equilibrada.
    • Beber bastante líquido.
    • Comunicar à equipe de saúde para que possa descartar outros problemas.
    • Manter bom padrão de sono.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Caso esteja muito cansado sem forças para sair da cama por mais de 24 horas
    • Sentir-se confuso e com falta de concentração
    • Se perder o sono
    • Piora da fadiga
    • Falta de ar e cansaço com pequenos esforços.
  • A neuropatia periférica é um dano nos nervos que controlam as sensações e os movimentos dos nossos braços e pernas

    O que eu posso sentir?

    • Dormência, formigamento, queimação e/ou sensação de dor.
    • Diminuição da capacidade de sentir calor ou frio.
    • Fraqueza e perda de equilíbrio.
    • Diminuição da sensibilidade para abotoar camisas, amarrar sapatos ou perceber algum ferimento.

    O que devo fazer?

    • Examinar suas mãos e pés diariamente.
    • Utilize meias de algodão e sapatos confortáveis.
    • Não ande descalço, principalmente em locais desconhecidos.
    • Utilize luvas de proteção ao lavar a louça.
    • Se tiver diabetes, realizar controle da doença, pois ela pode agravar a neuropatia.
    • Conversar com a equipe médica em relação à indicação e tratamento medicamentoso com: Vitamina E, Cálcio, Magnésio e outros medicamentos de uso controlado.
    • Manter uma boa comunicação com a equipe de cuidados, pois em alguns casos a dose de quimioterapia poderá ser reduzida ou suspensa.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    Caso manifeste os sintomas desde o início do tratamento, a equipe irá avaliar a necessidade de intervenção com medicamento e/ou redução de dose.

  • Significa pouca hemoglobina no sangue, glóbulos vermelhos que transportam oxigênio para todas as células do seu corpo.

    Causas associadas?

    • Alguns tipos de quimioterapia diminuem a capacidade da medula óssea de fazer novas células sanguíneas. Reduzindo o número de células no sangue.
    • Perda de sangue (sangramento).
    • Diminuição do ferro.
    • Falta de vitaminas ou minerais.
    • Alguns tipos de tumores.

    O que eu posso sentir?

    • Falta de ar
    • Aumento do batimento cardíaco
    • Cansaço aos pequenos esforços
    • Tontura
    • Inchaço nas mãos e pés
    • Palidez

    O que devo fazer?

    • Pode ser que o seu médico solicite reposição com transfusão sanguínea.
    • Ingerir alimentos ricos em ferro: folhas verdes, batatas doces, feijões, carnes e peixes (se não houver contra indicação pela nutricionista).
    • Medicamentos apenas se indicados pelo seu médico.
    • Comunicar à equipe de cuidados.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    Informe a sua equipe de cuidados se estiver tendo algum dos sintomas descritos acima.

  • O que eu posso sentir?

    Queda gradativa dos cabelos e ou pelos do corpo.

    O que devo fazer?

    Caso a equipe informe que seu tipo de tratamento poderá ocorrer queda de cabelo:

    • Pergunte sobre a indicação e disponibilidade de uma touca gelada ou uma máquina de esfriamento capilar (não é indicada para todos os tipos de tratamentos).
    • Uso de peruca: o ideal É obter antes do início do tratamento ou no início do tratamento. Se você comprar uma peruca antes que a perda de cabelo comece, pode encontrar uma mais parecida com o seu cabelo original e mais adequada à cor e textura do seu cabelo.
    • Se a perda do cabelo causar muito incômodo, pode optar por cortar o cabelo bem curto ou mesmo raspar a cabeça antes que ele comece a cair.
  • As infecções são causadas por micro-organismos que entram no corpo, se multiplicam e causam danos. O próprio câncer ou tratamento podem aumentar seu risco de contrair uma infecção.

    Causas associadas?

    • Baixa da imunidade
    • Infecções de cateter (dispositivo utilizado para receber os medicamentos)
    • Toxicidade do tratamento
    • A própria doença (câncer)

    O que eu posso sentir?

    • Aumento da temperatura corporal acima de 37.8ºC
    • Calafrios
    • Dor de garganta
    • Tosse ou falta de ar
    • Queimação ou dor ao urinar
    • Feridas (cirúrgicas ou não) com vermelhidão, inchaço e presença de calor no local.
    • Dor abdominal

    O que devo fazer?

    • Higienizar bem as mãos (principalmente antes de preparar alimentos e comer)
    • Evitar contato com animais se o seu tratamento tem risco de baixa imunidade
    • Evitar contato com pessoas com doença respiratória ativa
    • Alimentação saudável

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    Caso apresente qualquer um dos sintomas citados.

  • Neutropenia significa baixa contagem de glóbulos brancos, células que protegem o corpo contra a infecção.

    O que eu posso sentir?

    Na maioria dos casos, a neutropenia é assintomática. Caso a equipe de assistência revele que sua quimioterapia poderá causar neutropenia, procure manter cuidados que previnem infecção.

    O que devo fazer?

    • Exames de sangue quando indicado por sua equipe para detectar a neutropenia.
    • Cuidados na higienização das mãos e dos alimentos

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Aumento da temperatura corporal acima de 37.8◦ C
    • Calafrios
    • Dor de garganta
    • Tosse ou falta de ar
    • Queimação ou dor ao urinar

Tratamento Localizado

  • É um dos principais tratamentos para o câncer. Pode ser utilizada como prevenção, diagnóstico, estadiamento (extensão do tipo de câncer) e tratamento. Em alguns casos é realizada para aliviar um desconforto da doença metastática (que se espalhou para outro órgão à distância), é chamada de cirurgia paliativa.

    Efeitos colaterais:

    Os efeitos colaterais dependerão de alguns fatores: tipo de cirurgia, extensão da doença, estado físico, habilidade do cirurgião.

    • Dor: certifique-se com sua equipe médica antes da alta hospitalar em relação às orientações sobre medicamentos para controle da dor (dose, horário, modo de tomar), curativos e retorno de reavaliação.
    • Infecção: observe o local da incisão cirúrgica e ao redor (se possível, muitas vezes está com curativo que só deverá ser trocado pela equipe de saúde) e informe sua equipe de cuidados caso haja aumento da dor, hiperemia (aumento da presença de sangue), ruptura de pontos, presença de grande quantidade de secreção (pus), febre e/ou calafrios.
    • Coágulos de sangue no local cirúrgico ou não.
    • Retardo da cicatrização: informe sua equipe sobre os medicamentos que toma (alguns retardam a cicatrização) e ruptura de pontos. Faça o acompanhamento com o cirurgião para orientações sobre os cuidados.
    • Dano nos nervos: algumas cirurgias não conseguem evitar o dano nos nervos e isso pode causar diminuição da sensibilidade em alguns locais. Muitas vezes esse sintoma melhora com o passar dos dias.

    O que devo fazer?

    • Descanse quando necessário.
    • Alimentos com proteínas e calorias saudáveis ajudam a renovação das células. Solicite orientação nutricional do seu médico e/ou nutricionista.
    • Atividades como exercícios respiratórios e movimentos leves podem evitar complicações respiratórias. Pergunte ao seu médico ou fisioterapeuta orientações se necessário.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Presença de dor que não desaparece ou piora.
    • Vermelhidão no local e ao redor da cicatriz cirúrgica.
    • Calafrios, febre, tosse que não desaparece.
    • Aumento de hematomas ou presença de sangramento.
    • Qualquer mudança na orientação específica dada pela equipe médica antes da sua alta.
  • Este tipo de tratamento utiliza raios de alta energia para identificar e destruir as células do câncer. O tipo de radioterapia aplicada dependerá de outros fatores como seu estado físico, tipo de câncer, localização e extensão da doença.

    O planejamento é feito para destruir as células cancerosas, com o menor prejuízo possível para as células saudáveis próximas. Alguns tratamentos de radiação (sistêmica) usam substâncias radioativas que são administradas na veia ou por via oral. Embora este tipo de radiação percorra todo o corpo, a substância radioativa direciona-se principalmente à área do tumor.

    A radioterapia pode ser usada para tratar muitos tipos de câncer, isoladamente ou em combinação com outros tratamentos. Alguns medicamentos para quimioterapia ajudam a radiação a funcionar melhor, tornando as células cancerosas mais sensíveis à radiação.

    Tipos de Radioterapia:

    1. Radioterapia externa: uma máquina que direciona raios de alta energia para dentro do tumor.
    2. Radiação interna ou braquiterapia: uma fonte radioativa é colocada dentro da área a ser tratada ou próxima.
    3. Radiação sistêmica: medicamentos radioativos administrados por via oral ou colocados na veia, usados para tratar certos tipos de câncer.

    Efeitos colaterais

    Os efeitos colaterais dependerão do tipo de radioterapia e da parte do corpo a ser tratada. Alguns dos efeitos colaterais desaparecem em algumas semanas ou meses após o término do tratamento.

  • Alguns efeitos podem aparecer rapidamente, outros podem não surgir em 1 a 2 anos após o tratamento.

    • Queda do cabelo
    • Dores de cabeça
    • Náusea e Vômito
    • Fadiga (cansaço extremo)
    • Perda ou diminuição da audição
    • Alterações na pele e no couro cabeludo
    • Problemas com a memória e a fala
    • Convulsões

    O que fazer?

    • Tomar os medicamentos orientados pela equipe médica para diminuir a dor e inchaço.
    • Comunicar a equipe em caso de tontura e convulsões.
    • Alimentação equilibrada, em caso de náuseas e falta de apetite, ingerir alimentos em pequena quantidade e em intervalos curtos.
    • Descanso.
    • Atividades rotineiras sob supervisão para evitar queda.
    • Reabilitação física com fisioterapeuta.
    • Dor na boca ou na garganta
    • Mucosite (inflamação na boca, feridas)
    • Irritação na gengiva e garganta
    • Boca seca
    • Problema na deglutição
    • Alteração no paladar
    • Náusea
    • Dor de ouvido
    • Queda dentária
    • Perda de cabelo
    • Alterações na da pele
    • Rigidez do maxilar

    O que fazer?

    • Evite alimentos picantes e secos (bolacha, alimentos crus).
    • Evitar alimentos ou bebidas muito quentes ou geladas.
    • Não fumar.
    • Não ingerir álcool.
    • Evite ingerir açúcar exageradamente.
    • Solicite à equipe orientações sobre enxaguante bucal sem álcool.
    • Enxaguar bem a boca com 1 colher de chá de bicarbonato de sódio diluído em 1 litro de água a cada 1 a 2 horas, conforme necessário.
    • Procure a equipe de medicina bucal que poderá agir na prevenção e tratamento dos efeitos colaterais (cáries, mucosite).
    • Cuide da sua dentição, utilizando escovas suaves e escovando a cada refeição. Utilize creme dental que não contenha abrasivos (polidor dos dentes).
    • Caso use dentadura, o ideal é retirá-la durante o tratamento, pois pode ferir mais a boca devido ao inchaço da região tratada.
    • O uso do fio dental deverá ser com cautela e em caso de não haver feridas na boca.
    • Dor no peito
    • Tosse
    • Falta de ar
    • Perda de apetite
    • Fraqueza
    • Alterações na pele
    • Linfedema (inchaço nos braços e pernas que ocorre quando o sistema linfático não drena adequadamente o líquido que vai para o corpo)
    • Alterações cardíacas (menos comum)
    • Dano pulmonar (menos comum)

    O que devo fazer?

    • A equipe médica poderá orientar sobre medicamentos que diminuam a dor e inchaço.
    • Alimentação equilibrada orientada por nutricionista.
    • Descanse quando necessário.
    • Beba líquidos: água, chá, suco de frutas.
    • Enxague a pele com água morna em caso de dermatite (inflamação na pele) e NÃO esfregue a pele.
    • Não se exponha ao sol.
    • Utilize roupas confortáveis e de preferência de algodão que não grudem na pele.
    • Não aplique água fria ou quente na pele.
    • Tente não coçar a pele.
    • Não aplique nada na área tratada (creme, loção, maquiagem) sem que seja orientado por sua equipe de tratamento.
    • Não faça depilação da pele nas áreas próximas à região tratada.
    • Comunique sua equipe se aumento da tosse com presença de escarro.
    • Atividades como exercícios respiratórios e movimentos leves podem evitar complicações respiratórias. Peça ao seu médico ou fisioterapeuta mais orientações.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    • Presença de dor que não desaparece ou piora.
    • Presença de feridas na pele.
    • Falta de ar.
    • Tosse ou aumento ou presença de secreção.
    • Náusea
    • Vômito
    • Dor abdominal
    • Diarreia

    O que fazer?

    Náusea ou vômito:

    • Tente não ingerir alimentos 2 horas antes ou 2 horas depois na aplicação da radioterapia.
    • Converse com a equipe médica se você poderá tomar algum remédio para cessar a náusea.
    • Procure se alimentar em pequenas quantidades e em períodos curtos entre uma refeição e outra (por exemplo, a cada 3 horas).

    Diarreia:

    • Procure orientações do nutricionista.
    • Beba mais líquido (água, chá fraco, suco de maçã).
    • Não coma alimentos com alto teor de fibras ou que podem causar gases ou cólicas, como frutas e vegetais crus, feijão, repolho, pães integrais e cereais, doces e alimentos picantes.
    • Coma refeições frequentes e pequenas.
    • Não beba leite nem coma produtos lácteos.
    • Ingestão de bastante potássio (podem ser encontrado na banana, batata, feijão, pêssego).
    • Alterações na bexiga – dor ou queimação
    • Presença de sangue na urina
    • Alterações na fertilidade
    • Incontinência urinária ou fecal
    • Disfunção sexual
    • Ansiedade
    • Depressão

    O que fazer?

    • Perguntar para sua equipe de cuidados sobre fertilidade e riscos do tratamento.
    • Realizar fisioterapia para reabilitação da incontinência e se possível disfunção sexual.
    • Tomar os medicamentos para dor orientados pela sua equipe de cuidados.
    • Observar a presença de sangramento.
    • Acompanhamento com psicólogo antes, durante e após o tratamento.
    • Quando ligar para equipe de cuidados?Geralmente você será visto todos os dias pela equipe médica e equipe multidisciplinar. Comunique as alterações que notou após início de tratamento.

Outros tratamentos

  • A imunoterapia é um tratamento que usa certas partes do sistema imunológico de uma pessoa para combater doenças como o câncer. O objetivo é estimular seu próprio sistema imunológico para trabalhar mais e atacar células cancerosas.

    Tipos de imunoterapia:

    1. Ativa: cujo objetivo é induzir uma resposta imune.
    2. Passiva: que consiste na transferência de células ou anticorpos, previamente geradosin vitro, e dirigidos contra o tumor.

    Ambas as imunoterapias podem promover uma ativação global do sistema imune (imunoterapia não específica) ou podem ser dirigidas diretamente contra antígenos tumorais específicos (imunoterapia específica). Por isso não chamamos de efeitos colaterais da imunoterapia, mas sim de eventos relacionados à ativação do sistema imune (eventos imunorelacionados).

    Eventos imunorelacionados

    • Alterações na pele: dermatite;
    • Alterações gastrointestinais: diarreia ou colite;
    • Alterações no fígado: hepatite;
    • Alterações no pulmão: pneumonite;
    • Alterações neurológicas: miastenia, neuropatia periférica;
    • Alterações endócrinas: hipofisite, tireoidite, adrenalite;
    • Alteração no rim: nefrite;

    O que fazer?

    Como na imunoterapia os eventos dependerão do sistema imune do paciente e também do medicamento utilizado, na maioria das vezes o manejo é medicamentoso, muito específico e dependerá da graduação do evento.

    O importante aqui é ter uma boa comunicação entre a equipe oncológica assistencial (médico, enfermeiro, farmacêutico, outros) para que os eventos imunorelacionados sejam reportados e detectados o mais precocemente possível. Vale salientar que esses eventos são geralmente reversíveis, mas se não detectados precocemente podem se agravar.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    No caso do tratamento imunoterápico, qualquer sintoma que o paciente tiver após o início do tratamento deverá ser reportado para equipe oncológica assistencial (médico ou enfermeiro).

  • A terapia hormonal é utilizada em alguns casos de câncer de mama e próstata para retardar ou impedir o crescimento das células tumorais que são alimentadas por hormônios. Esta terapia geralmente envolve tomar medicamentos que impedem as células cancerosas de obter os hormônios que precisam para crescer.

    Em alguns casos, o médico pode remover cirurgicamente a glândula responsável pela produção hormonal. A equipe médica escolherá o tratamento para cada caso.

    Por bloquear a capacidade do corpo de produzir hormônios ou interferir na forma como os hormônios se comportam, a terapia hormonal pode causar efeitos colaterais indesejados.

    Efeitos colaterais:

    Os efeitos colaterais dependerão do tipo de terapia hormonal e a resposta do corpo.

    Câncer de mama:

    • Fadiga
    • Ondas de calor
    • Náusea
    • Aumento de peso
    • Perda da libido
    • Secura e ou prurido vaginal
    • Osteoporose
    • Dor articular
    • Cãibras
    • Inchaço

    Câncer de próstata:

    • Ondas de calor
    • Osteoporose
    • Perda da libido
    • Ginecomastia (aumento do volume das mamas)
    • Disfunção erétil
    • Alteração na fertilidade
    • Diminuição da musculatura

    O que fazer?

    FADIGA

    • Praticar exercícios físicos
    • Alimentação saudável e balanceada

    ONDAS DE CALOR

    • Reduzir o consumo de álcool
    • Beber bastante líquidos (água, chá, suco de frutas)
    • Diminuir a quantidade de alimentos picantes
    • Utilizar roupas leves e de algodão, principalmente à noite
    • Manter a temperatura do quarto fresca

    OSTEOPOROSE

    • Praticar exercícios físicos
    • Alimentação saudável e balanceada
    • Cálcio: obter de alimentos como queijo, leite, iogurte, sardinha enlatada, tofu e brócolis. Caso a equipe médica indique, poderá tomar suplementos de cálcio diariamente.
    • Vitamina D: esta vitamina absorve o cálcio. Ela pode ser obtida da exposição ao sol e também é encontrada em alguns alimentos, como peixe oleoso, gema de ovo e fígado.

    PERDA DA LIBIDO/ DISFUNÇÃO ERÉTIL/ FERTILIDADE

    • Acompanhamento psicológico para aprender a lidar com essas questões (ideal antes de iniciar o tratamento).
    • Alguns medicamentos podem diminuir o sintoma sexual. Converse com a sua equipe médica para verificar indicação.
    • Conversar com a equipe de aconselhamento genético para discutir alternativas sobre fertilidade.

    AUMENTO DE PESO

    • Praticar exercícios físicos
    • Alimentação saudável e balanceada
    • Manter-se ativo na rotina

    ANSIEDADE/ DEPRESSÃO

    • Converse com a equipe médica e psicólogo que poderão lhe ajudar nessas questões.
    • Exercício físico e alimentação saudável também podem ajudar.

    DOR ARTICULAR/ CÃIBRAS

    • Uso de anti-inflamatórios, com orientação médica. Comunique a equipe se não tiver melhora nas primeiras semanas.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    É importante a comunicação com sua equipe de cuidados principalmente nos primeiros meses de tratamento, para que possam ajustar o tratamento se necessário e gerenciar os sintomas.

  • A terapia alvo é um tratamento direcionado que usa substâncias para identificar e atacar as células de câncer de forma mais precisa. Ajuda o sistema imunológico do corpo, que é a nossa defesa natural, a atacar e combater o câncer.

    Efeitos colaterais

    • Alterações na pele, como vermelhidão e inchaço, erupções cutâneas, rash, coceira, pele seca.
    • Alterações nas unhas das mãos e dos pés (atenção para sinais de infecção).
    • Reações alérgicas, como irritação na pele, coceira, falta de ar, tontura, aperto na garganta ou no tórax.
    • Síndrome mão-pé: sensibilidade dolorosa, formigamento, amortecimento das mãos e pés, vermelhidão e inchaço.
    • Alterações nos cabelos: queda, alteração da cor, aspecto, presença de feridas no couro cabeludo.
    • Aumento da pressão arterial.
    • Sangramento: vômito com sangue, fezes escurecidas.
    • Tosse, dor no peito, falta de ar. Neste caso, procurar imediatamente a emergência médica.
    • Convulsões.
    • Fraqueza.
    • Retardo na cicatrização.
    • Edema.
    • Mucosite (inflamação da mucosa da boca).

    O que fazer?

    • Utilizar sabonetes, cremes, shampoo suaves.
    • Tome banho com água morna.
    • Use roupas soltas e macias.
    • Mantenha as unhas curtas.
    • Não se exponha ao sol. Quando sair utilize roupas que protegem da luz solar.
    • Utilize um protetor solar com alto fator de proteção.
    • Não utilize produtos para pele sem o conhecimento da sua equipe de cuidados, pois alguns produtos são irritantes e podem piorar o aspecto.
    • Utilize sapatos confortáveis.
    • Se necessário e orientado pela equipe médica, utilizar medicamentos para controle da pressão arterial.

    Quando ligar para equipe de cuidados?

    É importante que você informe a sua equipe de cuidados sobre quaisquer mudanças ou caso note algo novo ou incomum. Diga-lhes imediatamente para que possam tratar os problemas e ajustar o tratamento.